• Ceclin
jan 02, 2009 0 Comentário


Votação incomum elege Mano Presidente da Câmara

Mano Holanda (1º à direita) dirige a Posse e é confirmado Presidente da Casa.
Em Sessão Solene que empossou o Prefeito, vice e os onze vereadores eleitos da Vitória de Santo Antão neste primeiro dia de 2009 foi marcada por discursos carregados de emoção e intimidades na Câmara de Vereadores da cidade, que contou ainda com a escolha da Mesa Diretora da Casa.

Conforme especulado por este Blog confirmou-se que o Vereador Mano Holanda (PMDB) foi eleito por seis votos contra três. Único candidato apresentado, Mano não pode contar com a bancada do PSB que acabou verbalizando, em votação aberta, a abstenção da eleição da Mesa Diretora da Casa Diogo de Braga. Recheado de fatos incomuns, o vereador Sylvio Gouveia (PSB) acabou chamando a atenção da população presente nesta Sessão quando preferiu “votar em branco” em todos os quatro candidatos à Mesa Diretora. Já os vereadores Novo da Banca e Dr. Saulo, ambos do PSB, preferiram se abster da votação, seguindo a orientação da liderança do seu partido que os enquadrou para não participarem da escolha da Mesa Diretora da Casa.

Outro fato, foram as ausências dos vereadores eleitos José Aglaílson e Geraldo Enfermeiro (do PSB). Estes não compareceram a Sessão de Posse. Segundo apuramos, os dois parlamentares se encontravam na cidade do Recife e não foi revelada o que lá estavam fazendo. No entanto, quando a Equipe do Blog cobria a Posse na cidade de Pombos neste dia à tarde, por lá passou o vereador José Aglaílson, que acabou se retirando rapidamente em virtude de uma enorme vaia entoada por centenas de populares presentes na Rua da Câmara daquele município.

Como parlamentar mais votado do Município, caberia a Aglaílson, segundo a Lei Orgânica, presidir os trabalhos de Posse na Câmara. Todos esperavam presenciar a cena Aglaílson dando posse ao prefeito eleito Elias Lira. Como não se concretizou, devido a sua ausência, coube ao segundo vereador mais votado, Mano Holanda, dirigir as funções deliberativas desta Sessão.

Incomum ainda, foi a Liminar expedida pela Desembargadora Margarida Cantarelli, do TRE-PE, que atendeu a uma Ação Cautelar, em favor do vereador eleito Pedro José Cavalcanti de Queiroz (PPS) que não chegou a ser diplomado. Em virtude desta liminar, Pedro Queiroz garantiu a sua diplomação e Posse do cargo que pleiteara. O advogado Pedro Queiroz havia tido suspensa sua diplomação em razão do Juiz da 018º Zona Eleitoral, Dr. Uraquitan Santos, declará-lo impedido devido a pendência em processos judiciais que o acusam de improbidade administrativa.

Em discurso inflamado, já empossado, Pedro Queiroz pediu o uso da Tribuna para prestar uma satisfação a sociedade vitoriense. Aproveitou para cutucar o vereador Sylvio Gouveia (que retirou-se no momento) e sua esposa, Iara Gouveia, destes o perseguirem. “Eles não cansam de impedir que eu exerça o meu direito político de ser candidato e ter mandato. Posso dizer que ganhei no 2º Turno, já que tentaram ganhar no ‘tapetão’ “, afirmou ele.
Para depois mirar no seu alvo predileto: “Aglaílson deveria está aqui para escutar umas boas verdades. Hoje se encerra um governo ditatorial. Um governo de um homem satânico, substituído por um braço mecânico (se referindo a Demétrius). Além de perseguidor, Aglaílson fez um governo que promoveu a corrupção e a desmoralização política”, vaticinou Pedro Queiroz.

A composição da Mesa Diretora da Câmara de Vereadores da Vitória ficou assim constituída:
Presidente – Mano Holanda (PMDB); Vice-Presidente – André de Bau (PMN); 1º Secretário – Everaldo Arruda (PSDB); 2º Secretário – Frasão (PR).

por Lissandro Nascimento,
fotos: Anderson Diego.