Ceclin
ago 22, 2016 0 Comentário


Pela primeira vez na história de Vitória, guia eleitoral não será polarizado entre os “coronéis”

Coroneis de Vitória

Justiça Eleitoral define tempo e ordem de cada coligação no horário eleitoral em Vitória. Anúncio foi feito durante audiência pública na sexta-feira (19). Guia vai começar na sexta-feira (26) e terminará em 29 de setembro.

por Lissandro Nascimento

 

A Justiça Eleitoral que coordena as 018ª e 102ª Zonas do Município da Vitória de Santo Antão definiu, na última sexta-feira (19), o tempo de cada coligação no horário eleitoral gratuito das eleições municipais deste ano. O órgão também sorteou a ordem das inserções, o qual nessa eleição vem com um novo ingrediente político: as duas principais forças políticas da cidade não vão polarizar o tempo do guia.

Pelo sorteio, a primeira coligação a aparecer no guia tanto para prefeito quanto para vereador será a Frente Popular da Vitória, chapa comandada por Aglailson Júnior (PSB) com Saulo Albuquerque (Solidariedade) na vice. Em seguida, vem a Vitória Avança, do Prof. Edmo Neves (PMN) e Zé da Juliana (PTB); a Frente Verde Unidos pela Renovação, de Zé Catinga (PV) e Irmão Madi. Em sequência, serão veiculadas as inserções das chapas: Unidos por Vitória, de Paulo Roberto e Ozias Valentim (ambos do PSD); e, finalizando o primeiro dia do Guia, a coligação Quero Vitória Mais Forte, do atual vice Henrique Filho (PR) e Antonio de Lemos (PSC).

Além da ordem de exibições, a Justiça estabeleceu os tempos de veiculação no guia, obedecendo ao critério do voto proporcional. Por esse princípio, a duração dos anúncios de cada candidato deve variar de acordo com o número de partidos da coligação. Ou seja, quanto mais apoios o candidato tiver, mais tempo ganha.

Outro fator que influencia no tempo total são as próprias siglas que formam a coligação. Os partidos que mais tempo aparecem no guia são os que têm mais deputados na Câmara Federal. As siglas com maior representatividade na Casa Legislativa são: PMDB, com 67 deputados; PT, com 58; e PSDB, com 51.

Segundo esse critério, o tempo do guia eleitoral dos candidatos a prefeito, no rádio e na televisão, foi dividido da seguinte maneira: Aglailson Júnior, com 1 minuto e 55 segundos; Professor Edmo, com 2 minutos e 01 segundo; Zé Catinga, com 68 segundos; Paulo Roberto, com 4 minutos e 24 segundos; Henrique Filho, com 1 minuto e 52 segundos.

Tempo Guia Vitória

Já no guia dos candidatos a vereador, segue a lógica de divisão por cada partido coligado. O guia eleitoral será exibido de segunda a sábado, durante 20 minutos, divididos em dois blocos, reservados apenas para prefeitos, enquanto o de vereador terá inserções ao longo da programação das emissoras. Na televisão o horário segue de 13h às 13h10 e das 20h30 às 20h40. No rádio, o guia será veiculado de 07h às 7h10 e de 12h às 12h10. No caso de Vitória, a transmissão será via TV Vitória, canal 58, e por sua vez no Rádio, através da Vitória FM (93,5), Atual FM (107,1), Tabocas FM (98,5) e Cultural AM (1180).

Detentor do segundo maior tempo do Guia Eleitoral, o candidato a Prefeito Professor Edmo Neves conseguiu quebrar, pela primeira vez na história política da Vitória de Santo Antão, a polarização até então presente nos Guias, entre as famílias Lira & Queiralvares, as quais há mais de três décadas dominam o jogo político na cidade. As famílias, também pela primeira vez na recente história política, não têm certeza que deverão retomar a Prefeitura de Vitória, pois o atual Prefeito Elias Lira apresentou o candidato Paulo Roberto para sua sucessão, tido segundo pesquisa extraoficiais, como o mais rejeitado do eleitorado vitoriense. Por outro lado, herdeiro político do pai, o deputado Aglailson Júnior pretende retomar o domínio político no Poder Executivo local, mas carece de musculatura já que não fez uma oposição com qualidade e seu grupo vem demonstrando ao longo dos últimos anos “desidratação política”. Correndo por fora, outro membro da família política tradicional, herdeiro do deputado Henrique Queiroz (PR), o candidato Henrique Filho disputa timidamente e com pouca arregimentação política. Todos estes grupos são gestados no coronelismo político impregnado como um câncer maligno que precisa ser extirpado pelas mãos do povo de Vitória, através do voto universal e secreto na urna.

Edmo e Ze Juliana 2016 - Foto A Voz da Vitória

Tal cenário eleitoral indica que o Professor Edmo Neves é o que detém, neste momento,  maior condição em promover a renovação política em Vitória, pois tem provado nos últimos anos que fez “o dever de casa”: criou musculatura eleitoral, formou grupo político, arregimentou apoios de lideranças expressivas no Estado, conquistou apoios de empresários, da classe média e formadores de opinião, vem apresentando debates e propostas com bom nível de qualidade, além de contar com trabalho prestado à cidade e deter o menor nível de rejeição no eleitorado. Edmo e Zé da Juliana, neste momento atual, conseguiram também com todos estes ingredientes, quebrar a polarização política no guia eleitoral, detendo o segundo maior tempo. Portanto, vale a pena fazer este registro histórico.