• Ceclin
abr 02, 2019 0 Comentário


Vitória: Educação mais escandalosa

Secretaria de Educação da Vitória de Santo Antão

16 Escolas Municipais sem avaliação do SAEB/IDEB 2017 

Por Elias Martins

O recente comentário que fiz “Educação mais Desastrosa” destacou no A Voz da Vitória a não participação da Escola Municipal Mariana Amália na avaliação SAEB/IDEB 2017, exame que é realizado desde 2005, e que terá sua 8ª Edição agora em 2019.

Ao abrir discussão sobre o tema em um grupo de WhatsApp, fui chamado à atenção por um dos vereadores da Vitória de Santo Antão, hoje integrante da base do governo atual, que anunciei que a Escola não fez o exame, mas na realidade o “número de participantes no SAEB foi insuficiente para que os resultados fossem divulgados”.

Qual a diferença?  Nenhuma caro leitor do Blog.

Houve uma indefensável irresponsabilidade por parte dos gestores. Especialmente no caso do Mariana Amália, que é referência, ou era, pois em 2015 foi detentor da melhor avaliação do Município com Nota 5.2, título da Pequena no tamanho, porém Gigante no compromisso com a Educação dos vitorienses, especializada no ensino de 1ª à 5ª Séries, alcançando a maior nota da história das avaliações SAEB/IDEB de nossa cidade em 2017.  5.7 (orgulho do Bairro da Mangueira).

Porém infelizmente não para por aí.

Após o interessante Debate, resolvi analisar qual o efeito da ausência de avaliação do Mariana Amália, na nota geral do Município.  Aí, o Bicho Pegou!  O que parecia ser um Desastre, agora virou ESCÂNDALO.

Com Nota Geral 4.4 em 2015 para a avaliação da 5ª série, houve um recuo para 4.2 com Meta de 4.7 em 2017. Já em relação à 9ª série, mesmo com avanço de nota entre 2015 e 2017, 3.4, há uma distância considerável para a Meta – 4.0

Para 2019 as Metas são Nota 5.0 – 5ª série e Nota 4.3 – 9ª série.   ESPERAR O QUE?

MARIANA-AMÁLIA

Na realidade, de 25 escolas urbanas de Vitória que participaram da avaliação SAEB/IDEB de 2005 a 2015, no parâmetro 1ª a 5ª Séries (Fundamental l), 12 ficaram fora da avaliação 2017. Isto significa 52% da Rede Escolar Municipal fora da avaliação 2017, que foram elas:

COLEGIO MUNICIPAL TRES DE AGOSTO, ESCOLA MUN PROFA GILVANETE VIEIRA GUEDES, ESCOLA MUNICIPAL AGLAIRES SILVA DA CRUZ MOURA, ESCOLA MUNICIPAL EMILIO CUPERTINO DE ALMEIDA, ESCOLA MUNICIPAL JORNALISTA ASSIS CHATEAUBRIAND, ESCOLA MUNICIPAL JORNALISTA JULIO AUGUSTO SIQUEIRA, ESCOLA MUNICIPAL MARIANA AMALIA, ESCOLA MUNICIPAL PEDRO RIBEIRO, ESCOLA MUNICIPAL PREFEITO MANOEL DE HOLANDA CAVALCANTI, ESCOLA MUNICIPAL ROSA AMELIA DE QUEIROZ, ESCOLA MUNICIPAL ROTARY VITORIA e ESCOLA MUNICIPAL SANTO YVES, quando estas escolas juntas representavam 8.601 alunos da Rede Municipal daquele ano.

Foi ruim?  Não.  Foi Pior!!!

Dos 17 educandários que operam o ensino de 6ª à 9ª Séries em nosso Município, e que vêm participando das avaliações, também desde o início, 08 ficaram fora da avaliação SAEB/IDEB 2017. Foram elas:

COLEGIO COMERCIAL PREFEITO JOSE JOAQUIM DA SILVA, ESCOLA MUNICIPAL WEIGELIA GALVAO, ESCOLA MUNICIPAL AGLAIRES SILVA DA CRUZ MOURA, ESCOLA MUNICIPAL DR IVO QUEIROZ COSTA, ESCOLA MUNICIPAL JORNALISTA ASSIS CHATEAUBRIAND, ESCOLA MUNICIPAL JOSEFA ALVARES DA SILVA, ESCOLA MUNICIPAL PEDRO RIBEIRO, ESCOLA MUNICIPAL PREFEITO MANOEL DE HOLANDA CAVALCANTI, adicione-se aí mais 1.673 alunos.

No total, aproximadamente 10.274 alunos não foram avaliados em 2017, de uma Rede Total de 16.647 estudantes naquele ano letivo.

O SAEB funciona teoricamente assim:

Para o ano de 2017 foi estabelecido pelo MEC a realização das provas para os alunos de 5ª e 9ª Séries, entre os dias 23 de outubro e 03 de novembro, e que no dia marcado pela direção da escola no referido período, deveriam estar presentes em sala para realização do exame, no mínimo 80% dos alunos cadastrados no sistema para cada turma.

11 Escolas nos exames de 5ª série, não conseguiram a participação de 80% alunos no dia marcado;

A mesma condição ocorreu para 4 escolas nos exames de 9ª série;

1 Escola não participou, ou não atendeu requisitos para cálculo do desempenho, para 5ª série;

4 ficaram na mesma situação, para o exame de 9ª série.

Onde estão os nossos Órgãos fiscalizadores que não viram esse ato deplorável da atual Gestão de nosso Município…   Controladoria do Município? Comissão Permanente de Educação da Câmara de Vereadores? Ministério Público Estadual e Federal?

Os Professores que tanto reivindicam melhores salários, mesmo sendo teoricamente os mais bem pagos do Nordeste, também calaram diante de tal ESCÂNDALO.

Enganam-se quem acha que estas avaliações não têm tanta importância.

Para Administrações Responsáveis, Organizadas, Compromissadas com a Educação, estas avaliações são importantíssimas, especialmente para correção de rumos dos recursos aplicados na Gestão do Ensino Fundamental de responsabilidade do Município.

Será essa a cara do atual Governo?   Quanto menos Educado Melhor?

Essa é a Máxima dos Governos que usam indiscriminadamente os recursos municipais para a Perpetuação de seus Clãs nas políticas locais.

Minha Opinião!!!

É um Fato Gravíssimo.

Os maiores responsáveis pelo acontecimento, na ordem, são:

Diretores de Escolas > Secretário > Prefeito

A Câmara de Vereadores, no mínimo, e logo após os resultados, que já se conhece há seis meses, deveriam ter convocado o Secretário de Educação para esclarecimentos, e comprovada a desídia dos Diretores envolvidos, exigir a imediata EXONERAÇÃO dos cargos, como ao Secretário, a entrega do seu, diante dos valores envolvidos sem a devida eficácia.

Para cada avaliação são investidos dois exercícios, no caso, 2016 e 2017, a Prefeitura Municipal de Vitória de Santo Antão gastou R$ 157,5 milhões que representou 63,5% de tudo que foi arrecadado pela nossa Prefeitura em 2017.

É UM VERDADEIRO ESCÂNDALO na história da Educação de nossa cidade na era FUNDEB, contudo, infelizmente nossa sociedade não está preparada para exigir a punição por tamanho descaso com a educação de seus filhos e inconsequentes prejuízos aos cofres da municipalidade.

Infelizmente não há punição estabelecida pelo MEC para casos análogos.

Elias Martins (14.444)

 

 

Por Elias Martins, 

consultor em Gestão Pública e Colunista do Blog.

 

LEIA TAMBÉM: - Educação mais desastrosa em Vitória de Santo Antão