Ceclin
Maio 04, 2015 0 Comentário


Vitória de Santo Antão se despede do Padre Renato

(Túmulo onde religioso foi sepultado reserva memória histórica - Foto: Reprodução / PMV).

(Túmulo onde religioso foi sepultado reserva memória histórica – Foto: Reprodução / PMV).

Ruas lotadas e muita emoção marcaram o cortejo fúnebre do Monsenhor Renato da Cunha Cavalcanti, pároco de Vitória de Santo Antão, Zona da Mata do Estado, na noite desse domingo (03).  O religioso morreu vítima de um câncer no Hospital Jayme da Fonte, no Recife, onde estava internado para tratamento. Sua morte foi confirmada no início da tarde do último sábado (02), e comoveu a comunidade católica local. Milhares de pessoas foram à Igreja Matriz de Santo Antão, onde o corpo estava sendo velado, para prestar as últimas homenagens ao padre, que dedicou à cidade 52 anos de sacerdócio. Monsenhor Renato tinha 85 anos. Ele havia celebrado Jubileu de Diamante – 60 anos de vida sacerdotal – no dia 17 de abril.

(Foto: Julio de Pipia / Reprodução).

(Foto: Julio de Pipia / Reprodução).

Em um carro do Corpo de Bombeiros, o caixão que levava o pároco percorreu as ruas da cidade acompanhado por cânticos católicos, seminaristas, autoridades políticas e pessoas comuns. Muitos, entre jovens e idosos, não seguraram as lágrimas. Pessoas de outras denominações religiosas também saudaram a passagem do cortejo. Antes, logo cedo, uma missa exequial foi celebrada por Dom Fernando Saburido, arcebispo de Olinda e Recife, no calçadão paroquial. O meio político também lastimou o falecimento do pároco, entre eles, Paulo Câmara, governador do Estado. “Quero prestar minhas condolências aos familiares e admiradores do Monsenhor Renato. O pároco da Matriz de Santo Antão, ao longo dos seus 60 anos de vida religiosa, teve um longo e benfazejo trabalho em benefício daqueles que mais precisam”, disse, em nota à nossa redação.

(Fotos: Antonio Gomes e Renata Nascimento - Pascom Moreno).

(Fotos: Antonio Gomes e Renata Nascimento – Pascom Moreno).

Assim que o corpo chegou ao Cemitério de São Sebastião, muitas pessoas já o aguardavam. Sob aplausos, o caixão foi carregado e logo de início a entrada só foi permitida para pessoas próximas e a imprensa. Depois, após as últimas celebrações, a entrada foi permitida a todos.

O túmulo onde o corpo foi enterrado também reserva uma ocasião histórica. No mesmo local, em 31 de agosto de 1908, foi sepultado o cônego Bernardo de Carvalho, pároco da cidade no século passado. O cônego assumiu a paróquia em 1888, vindo da Paraíba após sofrer perseguição política em Teixeira. Cônego Bernardo foi por duas vezes deputado federal.

Devido o falecimento, a Prefeitura da Vitória decretou sete dias de luto oficial. A Paróquia de Santo Antão volta ao expediente administrativo na quarta-feira (06).

(Padre Renato iniciou cedo a vida religiosa).

(Padre Renato iniciou cedo a vida religiosa).

História  – Filho de Pedro da Cunha Cavalcanti e Judith da Cunha Cavalcanti, Renato da Cunha Cavalcanti atravessou a história da Vitória de Santo Antão. Sua morada em solo vitoriense lhe tornou um ícone social conhecido por todos. Em Vitória, tomou posse como pároco no dia 31 de março de 1963 após se tornar padre em Paris, na França, em abril de 1955.

Formado em  Licenciatura plena de Filosofia na Universidade Católica de Pernambuco e Licenciatura curta de Letras na Faculdade da Vitória de Santo Antão, o Monsenhor nasceu em Timbaúba, na Mata Norte do Estado, mas se considerava um cidadão vitoriense, cidade que dizia amar.

No ano de 1989, em entrevista concedida ao  jornalista João de Albuquerque Álvares no jornal impresso A Voz da Vitória, Padre Renato externou que “o convívio com os vitorienses tem me enriquecido bastante e contribuído sobremaneira para que eu esteja sempre de bem com a vida; também por isso eu sou muito grato a todos”.

 LEIA TAMBÉM

Vitória de Santo Antão rende homenagens a Padre Renato