• Ceclin
fev 10, 2017 0 Comentário


Vitória de Santo Antão celebra os 110 anos do Frevo

sede da ACTV

O ritmo genuinamente pernambucano, o Frevo, completou na quinta-feira (09/02), seus 110 anos.  A palavra Frevo foi publicada pela primeira vez na imprensa no Jornal Pequeno, no dia 9 de fevereiro de 1907. Já em 04 de dezembro de 2012 o ritmo recebeu um dos seus maiores presentes, o título de Patrimônio Imaterial da Humanidade, concedido pela UNESCO.

Para celebrar o Dia do Frevo, a Associação do Carnaval Tradicional Vitoriense (ACTV) promoveu ontem uma noite festiva. Na nova sede da entidade, num dos galpões da antiga Estação Ferroviária, no Centro de Vitoria, aconteceu um encontro legitimamente carnavalesco, com diretores de agremiações, compositores, músicos, foliões e personalidades políticas. No local, se encontra disponível para exposição estandartes, fotografias e peças que retratam as famosas alegorias vitorienses.

Para marcar a celebração ao Frevo, as Orquestras vitorienses Ciclone e A Venenosa deram o tom animado da festa. A presidente da ACTV, Viviane Ramos, destacou que a data representa também a resistência das raízes culturais que envolvem este período carnavalesco. “Para continuar valorizando nossas tradições iremos manter esse espaço aberto ao público durante todo Carnaval, a fim de proporcionar ao visitante mais conhecimento sobre o nosso Carnaval”, salientou. Um dos fundadores da ACTV, o compositor carnavalesco Guilherme Pajé, relatou publicamente as circunstancias históricas que fizeram deste ritmo uma paixão nacional.

Uma das singularidades do Carnaval de Vitoria, os Carros Alegóricos, Viviane adiantou e lamentou que apenas três clubes carnavalescos irão desfilar no corredor da folia vitoriense. “Nosso esforço, para os próximos carnavais, será estimular a produção junto ao Poder Público e a iniciativa privada, para o fortalecimento das agremiações que desfilam com alegorias”, ressaltou a representante da associação.

 diretoria ACTV 2017