• Ceclin
dez 30, 2008 0 Comentário


Vitória atrasa salário de servidor

Publicado em 30.12.2008

Professores fizeram protesto contra o não pagamento do 13º

Diversos servidores da Prefeitura da Vitória de Santo Antão, Zona da Mata do Estado, temem passar o réveillon sem receber o 13º salário. Ontem, no final da manhã, um grupo de funcionários ensaiou uma mobilização na sede do executivo municipal. A maioria era composta por professores e outros funcionários da Secretaria de Educação, que denunciaram além do atraso do abono natalino – cujo prazo legal findou no último dia 20 – uma completa desorganização no calendário de pagamentos da Prefeitura desde setembro. Há ainda queixas de que algumas funções perderam suas gratificações e benefícios sem justificativa.
O corte representa perdas de até R$ 400 nos rendimentos de alguns servidores.
Em novembro, a Prefeitura de Vitória de Santo Antão recebeu uma recomendação do Ministério Público de Pernambuco (MPPE), que determinou o pagamento dos salários em atraso, segundo confirmou a promotora de patrimônio público do município, Maria Amélia Gadelha. “Após isso, os pagamentos haviam sido regularizados. O que tenho conhecimento é de que há um atraso no 13º e estipulamos como prazo o final do mês para que essa situação fosse resolvida”. Devido ao recesso de final de ano, a promotora só vai analisar com cuidado o problema a partir do dia 2 de janeiro.
A professora Etiene Luiz, há 19 anos servidora municipal de Vitória, questionou o fato dos repasses do Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica e de Valorização dos Profissionais da Educação (Fundeb) estarem sendo feitos regularmente e que, na sua opinião, deveriam ser utilizados como complemento no pagamento da folha, evitando assim os atrasos.
“Desde junho que estamos convivendo com esse problema, há um sorteio para ver que servidores irão receber em dia. Os professores de 1ª a 4ª série do ensino básico, por exemplo, estão com os salários de novembro em atraso. Merendeiras e secretárias também. Já eu esperava quitar meus débitos com o 13º neste final de ano”, lamentou Etiene.
Outra professora, Maria Nazareno, acrescentou que não houve nenhuma justificativa para os atrasos e que apesar dos servidores terem pressionado um encontro ontem, foram despistados pelos secretários. “Se o salário e o 13º não forem pagos ficará difícil para mim. Na próxima semana eu já tenho que pagar o aluguel”, complementou.
O prefeito Demétrius Lisboa (PSB) foi procurado durante toda a tarde de ontem pela reportagem do JC, porém não atendeu as chamadas em seu telefone celular.
(Jornal do Commercio).