Ceclin
fev 11, 2022 0 Comentário


O valor do seguro do carro aumentou novamente. Para um carro de R$ 50 mil ficou em 5,3% do valor

Lamentavelmente, nesses últimos anos os brasileiros temos nos acostumado com os incrementos nos valores dos produtos e serviços. De fato, 2021 fechou com uma inflação de 10,06%, bem superior do que o teto estabelecido pelo Conselho Monetário Nacional (CMN), de 5,25%, e foi a maior em seis anos. Janeiro, no entanto, já registrou um incremento de 0,54% no IPCA (Índice de Preços ao Consumidor Amplo), portanto é de se esperar que a tendência de aumentos continue durante este 2022.

O mercado dos seguros vai pelo mesmo caminho. Após um ano convulsionado para o setor, com idas e vinda nos preços, o valor das apólices de carro registrou um novo incremento no último mês do ano passado. O aumento foi de 5,3% em comparação com o período anterior de acordo com o Índice de Preços do Seguro Automóvel (IPSA) desenvolvido pela TEx, insurtech especializada em soluções online para o mercado dos seguros. Desse jeito, a média do preço do seguro para um carro de R$ 50 mil é de R$ 2.650, o aumento é bastante levando em conta que, apenas em outubro de 2021, para o mesmo tipo de carro uma apólice podia valer perto de R$ 2.500.

Quais são os motivos da subida de preços?

Para entender o fenômeno é importante levar em conta que são muitos os fatores considerados pelas companhias seguradoras na hora de determinar os valores das apólices. Os mais importantes são, por exemplo, cidade de moradia, idade e sexo do motorista, tipo de carro, ano de fabricação, etc. Todos eles, de um jeito ou de outro, elevam ou diminuem o risco de ocorrência de sinistros (acidentes de trânsito, furtos ou roubos, tormentas fortes, etc.). Assim, quando as possibilidades de um sinistro acontecer são mais baixas, os preços dos seguros costumam ser mais econômicos.

Um dos aspectos mais determinantes é, obviamente, o valor do carro segurado. Ele explica o porquê dos fortes incrementos dos últimos meses nas apólices. Acontece que, desde o começo da pandemia, a indústria vem sofrendo, principalmente com a falta de estoque de componentes eletrônicos, o que entorpeceu a produção e diminuiu a oferta de veículos disponíveis. Para ter uma ideia, só considerando os carros mais vendidos de 2021, a variação média dos preços foi de 25,4% e chegando até 35% no caso de alguns modelos.

Ainda assim, é possível identificar diversos preços de seguro para um mesmo carro, dependendo dos fatores já mencionados. Por exemplo, em cidades pequenas – com uma população de 5 a 10 mil habitantes – os motoristas conseguem pagar o seguro mais barato do mercado, acontecendo o contrário com os motoristas de cidades maiores – entre 100 e 500 mil habitantes – nas quais paga-se o maior valor registrado.

A evolução dos valores também mudou de acordo com o gênero do dono do carro. Segundo o levantamento, o preço final do seguro subiu de 5,3% para 5,6% para os homens e diminuiu de 4,9% para 4,8% para as mulheres. O motivo é simples e puramente estatístico: os homens ficam mais envolvidos em acidentes graves e com perda total do veículo.