Ceclin
out 28, 2021 0 Comentário


Vacinação contra Covid-19 apresenta resultados positivos em Vitória de Santo Antão

O número de mortes em consequência da COVID-19 reduziu drasticamente nos últimos seis meses em Vitória de Santo Antão, na Mata Sul pernambucana. Em maio deste ano, a coordenação de Vigilância Epidemiológica da Secretaria municipal de Saúde registrou 42 mortes enquanto que em setembro apenas duas pessoas tiveram óbito confirmado pela Covid.

Do total de mortos de maio, apenas 7%, ou seja três pessoas, tinham completado o esquema vacinal e nenhuma das vítimas da Covid de setembro havia tomado a segunda dose. Apesar dos números apontarem para uma redução das mortes das pessoas imunizadas, as autoridades de Saúde do Município estão preocupadas com o não retorno para a segunda dose, neste dia 28 de outubro, cerca de 24 mil pessoas estão com a vacinação em atraso em Vitória.

São 8.675 pessoas que deveriam ter tomado a Astrazeneca e outras 10.800 em atraso com a Pfizer, ambas com intervalo de 60 dias entre as doses. Também tem 4.552 pessoas que já poderiam ter voltado para completar o esquema vacinal da Coronavac, cujo intervalo é de 28 dias.

“As pessoas precisam entender que a redução das mortes está diretamente ligada ao avanço da vacinação e que a segunda dose não é um reforço, é fundamental para que complete-se a imunização e o paciente possa ficar mais seguro que não terá a forma mais grave da doença”, enfatizou Bruna Dornelas, secretária de Saúde e Bem-Estar da Vitória.

Atualmente 167.210 doses das vacinas contra o novo coronavírus já foram aplicadas no Município, destas 97.982 são referentes a primeira dose e 66.963 são de segunda dose ou com a dose única. Vale destacar também a preocupação de 2.265 pessoas que voltaram para o reforço com a terceira dose.

“É preciso que haja conscientização para a tomada da segunda dose. Pelo próprio indivíduo e também por quem eles amam. Além disso só com um grande número de pessoas vacinadas é que conseguiremos voltar a nossa rotina com mais segurança. 24 mil pessoas é um número muito alto”, alertou o Prefeito Paulo Roberto (MDB).