Ceclin
nov 27, 2017 0 Comentário


Uma a cada cinco pessoas que vão aos hemocentros é considerada inapta para doar sangue no Brasil

Mapa mostra percentual de candidatos inaptos para a doação de sangue no Brasil; quanto mais forte a cor, maior a taxa de impedimentos (Foto: Reprodução)

Mapa mostra percentual de candidatos inaptos para a doação de sangue no Brasil; quanto mais forte a cor, maior a taxa de impedimentos (Foto: Reprodução)

Levantamento do G1 mostra percentual sobre o comparecimento em toda a rede pública; médicos apontam principais motivos para impedimento de candidatos. Brasil ainda precisa de 410 mil doadores de sangue para cumprir recomendação da OMS. 

Por Gabriela Caesar, G1

Uma a cada cinco pessoas que vão aos hemocentros da rede pública é considerada inapta a doar sangue no Brasil. É o que mostra um levantamento feito pelo G1 nos 32 hemocentros coordenadores, espalhados pelas 27 unidades federativas. De janeiro a agosto deste ano, 2.036.138 compareceram para doar sangue em um dos mais de 200 pontos de coleta da rede pública. Desse total, 21,7% dos candidatos (440.968) foram considerados inaptos para a doação.

MAPA: veja o percentual, por estado, de pessoas consideradas inaptas para a doação

Esses candidatos foram reprovados nas etapas que antecedem a coleta de sangue: a pré-triagem e a triagem. Primeiro, a pessoa precisa passar pela fase em que são checados a pressão arterial, a temperatura e se o doador voluntário tem anemia e peso mínimo de 50 quilos.
Depois, na triagem, um médico faz perguntas ao candidato a doador de sangue. O conteúdo varia de comportamento sexual a uso de medicamentos e viagens recentes. O candidato não pode ainda ter dormido poucas horas na noite anterior nem ter tido perda de peso nos últimos meses, por exemplo.

Restrições

Para o hematologista Leonardo Campos, as razões mais comuns para a inaptidão são o uso de determinados medicamentos, a anemia e infecções, como resfriados.

Outro motivo para os candidatos serem considerados inaptos para doar sangue é o peso inferior a 50 quilos. O G1 fez uma busca pelos tweetsmais recentes sobre doação de sangue, e essa restrição foi uma das mais citadas.

“Poxa… Nem doar sangue eu posso, porque eu não tenho o peso necessário”, reclamou uma usuária do Twitter. “Preciso engordar 100 gramas para poder doar sangue. Deixa eu ir ali comer”, escreveu outra pessoa.

Em 2012 e 2013, a faixa etária do doador de sangue foi ampliada. Antes, o doador precisava ter de 18 a 65 anos. Atualmente, ela varia de 16 a 69 anos, sendo que a primeira doação deve ser feita obrigatoriamente até os 60 anos. O menor de 18 anos precisa, no entanto, apresentar uma autorização de um responsável legal para doar sangue.

Eis os requisitos: 

  • ter entre 16 e 69 anos;
  • ter peso igual ou superior a 50 quilos;
  • estar alimentado e ter evitado alimentos gordurosos nas 3 horas que antecedem a doação;
  • ter dormido pelo menos seis horas nas últimas 24 horas;
  • estar bem de saúde, sem gripe, resfriado ou febre há, no mínimo, 7 dias;
  • não estar em período de gravidez ou amamentação;
  • não ter tido uma gravidez há 90 dias (parto normal) ou 180 dias (cesariana);
  • não ter tido diarreia nos últimos 7 dias;
  • não ter ingerido bebida alcoólica nas 12 horas anteriores;
  • não ter feito tatuagem ou piercing nos últimos 6 meses (piercing na boca ou na genitália impedem definitivamente a doação);
  • não ter feito exames ou procedimentos com utilização de endoscópio nos últimos 6 meses;
  • não ter passado por cirurgia odontológica com anestesia geral nas últimas 4 semanas;
  • não ter tido relação sexual em que tivesse risco de doenças sexualmente transmissíveis nos últimos 12 meses;
  • não ter feito uso de drogas injetáveis;
  • não ter visitado regiões onde há surto de febre amarela nas últimas 4 semanas.

CONFIRA MATÉRIA COMPLETA AQUI