• Ceclin
jan 04, 2011 0 Comentário


Um dia após eleições do Ministério Público, promotores são ”promovidos”

Foto: Reprodução/TV Globo
Um dia depois de membros do Ministério Público de Pernambuco elegerem a lista tríplice com os nomes que concorrem ao cargo de procurador geral de Justiça, o Diário Oficial publicou nesta terça-feira (4) a “promoção” de 27 promotores.
No documento, o procurador geral de Justiça que deixa o cargo, Paulo Varejão, efetiva promotores no cargo de titular de comarca e faz transferências determinando acúmulo de funções em cidades distantes.
Nas eleições, foram escolhidos os promotores Aguinaldo Fenelon, com 174 votos, Waldemir Tavares Filho, com 151, e Clóvis Ramos Sodré, com 129 votos. Os dois primeiros são apoiados por Varejão. Cabe ao governador Eduardo Campos (PSB) escolher um nome. A decisão deveria ter saído hoje, mas foi adiada para amanhã.

De acordo com denúncia apresentada no NETV, da TV Globo, no caso dos acúmulos, os titulares ganham 10% em cima do salário de R$ 16 mil.

Em entrevista à TV Globo, Paulo Varejão não estranhou o elevado número de nomeações um dia após as eleições. “Não vejo como coincidência porque nós fizemos todas as nomeações, essas designações de exercício dentro da conveniência institucional. Isso é um processo absolutamente natural. É feito dentro da conveniência institucional. Eu não teria nem porque fazer de outra forma, até porque eu coloquei dois candidatos meus, do meu grupo na lista e o terceiro foi o da oposição. Creio que sem nenhuma chance de ser escolhido porque os dois primeiros colocados são nossos candidatos. Então, não haveria nenhum motivo para fazer isso que não fosse pela conveniência da instituição”, afirmou.