• Ceclin
jun 18, 2008 1 Comentário


TSE será rígido com contas de campanha

O Tribunal Superior Eleitoral (TSE) vai tratar com mais rigidez a prestação de contas dos candidatos a partir deste ano para evitar fraudes na contabilidade. Uma das mudanças é um convênio firmado com o Banco Central, que vai disponibilizar para a Justiça Eleitoral o extrato bancário eletrônico das contas abertas pelas candidaturas para movimentar os recursos financeiros. Até as eleições passadas, essas informações eram enviadas pelos próprios comitês dos candidatos em recibos de papel. A nova resolução deve ser aprovada amanhã pelos ministros do TSE.
Para os técnicos do TSE, os extratos de papel dão margem a falsificações. Além disso, com os dados em meio eletrônico, a análise da movimentação financeira dos candidatos poderá ser feita com maior agilidade e precisão. Hoje, o exame da contabilidade das campanhas é uma das maiores dificuldades da Justiça Eleitoral.
Outra novidade é a possibilidade de os candidatos entregarem à Justiça Eleitoral as contas parciais pela internet. Além da prestação de contas após a campanha, os candidatos devem apresentar a primeira contabilidade prévia até 6 de agosto e a segunda prévia em 6 de setembro. Agora, em vez de entregar o arquivo pessoalmente, os candidatos poderão baixar um programa na rede semelhante ao programa do Imposto de Renda. A vantagem é que os dados poderão ser divulgados na internet com mais rapidez para o eleitor.
Recentemente, o tribunal estabeleceu também que os partidos não podem assumir dívidas deixadas por candidatos após a prestação de contas eleitorais. Até a última eleição, a prática era amplamente usada para encobrir falhas na contabilidade de candidatos que gastam mais do que arrecadam. Os dois principais concorrentes à Presidência da República em 2006, Luiz Inácio Lula da Silva (PT) e Geraldo Alckmin (PSDB), lançaram mão deste recurso. (Jornal do Commercio).