Ceclin
fev 20, 2017 0 Comentário


Troças e trios elétricos abrem a semana pré-carnavalesca em Vitória de Santo Antão

Vânia América apostou num repertório carnavalesco de anos anteriores e segurou o público até o início da madrugada. Foto: Júlio de Pipia

Vânia América apostou num repertório carnavalesco de anos anteriores e segurou o público até o início da madrugada do domingo. Foto: Júlio de Pipia

por Lissandro Nascimento

Certamente três agremiações carnavalescas se destacaram em arrastar multidões no corredor da folia em Vitória de Santo Antão, na Zona da Mata, neste ultimo final de semana que antecede a Folia de Momo na cidade. As Virgens, Barriga D’Água e Baby Alegria provaram que o carnaval de rua tem reunido gerações de foliões.

O tradicional desfile das Virgens em sua 34ª edição na noite do sábado (18/02), contou com o retorno  da Cantora Vânia América, com participação da cantora vitoriense Rivô A Poderosa. Vânia apostou num repertório carnavalesco de anos anteriores e segurou o público até o início da madrugada do domingo.

Ainda na noite do sábado, ocorreu a segunda edição do Baile de Máscara, promovido pela Paróquia de Santo Antão, no Clube Abanadores O Leão.

Por sua vez, na tarde do domingo (19), animando a criançada o Bloco Infantil Baby Alegria fez grande concentração com a Companhia Máquina Teatral e em seguida no trio elétrico Sérgio & Banda Simbora comandaram a agitação do público celebrando os 20 anos da agremiação liderada por Charles Romão, presidente da ABTV. Ainda, marcando sua 15ª edição, A Troça Os Barrigas D’água reuniu as Orquestras Ciclone e A Venenosa garantindo a animação popular que saiu do Sítio do Meio e terminou no Bairro do Livramento no início da noite.

Logo, provando que as pessoas com necessidades especiais também detém seu espaço na folia, a oitava edição da Troça Carnavalesca ADVISA em Folia reuniu no início da tarde do domingo na sede da Associação dos Deficientes, próximo a Praça do Fórum, na Matriz da Vitória, fazendo uma dupla festa com dezenas de foliões em parceria com a Troça AI, AI, AI, UI, UI. Houve um especial desfile em homenagem ao seu sócio-fundador Severino Francisco Matos – “Raminho Fotógrafo”, falecido aos 79 anos, no ultimo dia 21 de janeiro. Ambas as troças acertaram os passos no entorno da Praça da Matriz sob o comando da Orquestra vitoriense Desafio. No pequeno trajeto, o desfile sofreu percalços em virtude do bloqueio com correntes e o estacionamento de um trio elétrico não terem se apercebido de que estas troças passariam naquele horário, contudo, os fatos não tiraram o brilho do desfile dos que buscam acessibilidade urbana.

Advisa 2017

Registram-se outras agremiações que abriram a semana pré-carnavalesca em Vitória a exemplo dos Caninhas, Quengas em Folia, Os Estressados, Os Galerosos, Curral do Cajá, Só Entra Quem Chupa Chupeta, Beija-Flor, Os Intrusos, Lisos & Contentes e Os Errados D+ marcaram espaço no corredor da folia vitoriense.

LOGISTICA A CONTENTO

A folia que abriu a semana pré-carnavalesca em Vitória de Santo Antão contou com dezenas de troças, blocos com orquestras e trios elétricos, se deu sem qualquer tipo de violência, com presença destacada da Polícia Militar. Responsável por cuidar da infraestrutura necessária no corredor da folia, a Prefeitura de Vitória tem dado demonstrações de esforço em fazer sua parte.

Ruas decoradas de forma modesta, trancamentos e bloqueios das vias públicas e controle moderado de locomoção de veículos surtiram efeitos aceitáveis para o começo da folia vitoriense. Vale ressaltar que a saída das Virgens nunca teve o tratamento urbano como registrado nesta edição. Apesar de a iluminação ainda ser precária em alguns pontos, foi notada a instalação de banheiros químicos em inúmeros pontos e limpeza pública permanente.

Dois pontos que considero críticos na logística se tratam dos paredões de som e dos ambulantes com carrinhos de mão. Foi notório perceber o grande volume de ambulantes circulando livre e solto em todo o percurso. Do mais, apesar de haver o Decreto nº 008/2017 proibindo a utilização de paredões de som automotivos e similares em todo o percurso carnavalesco de Vitória, foi constatado paredões, em número menor se comparado com festividade anterior, na Praça da Matriz e Duque de Caxias. Responsável por inibi-los, a Polícia Militar e a Guarda Municipal à primeira vista não efetuaram autuação devida. Foi notada a presença do BEPI – Batalhão Especializado de Policiamento do Interior, na noite do sábado nas Virgens, contudo, a impressão que se dar é a de que os policiais, muitos deles não residentes em Vitória, não terem sido orientados a respeito desta proibição. Se durante o carnaval os paredões persistirem, o Decreto do Prefeito Aglailson Junior (PSB) ficará desmoralizado.

Cabe mencionar que inúmeras queixas foram registradas nas redes sociais pós-evento, quando os foliões na volta para suas casas foram vítimas de assaltos à mão armada. Com o policiamento concentrado na folia e o pouco efetivo funcionando devido a Operação Padrão da PM, a periferia da cidade sentiu os efeitos desta ação.