Ceclin
jun 07, 2008 0 Comentário


Troca de geladeira terá incentivo da Celpe

A Companhia Energética de Pernambuco (Celpe) vai lançar, no próximo dia 16, em Brasília, um programa que vai subsidiar a venda de geladeiras econômicas para os clientes de baixa renda de todas as distribuidoras do Grupo Neoenergia – que além da Celpe controla as distribuidoras de energia do Rio Grande do Norte (Cosern) e da Bahia (Coelba). O cliente pagará 40% do valor do eletrodoméstico, que poderá ser financiado em até 24 meses.
Os 60% restantes do valor do produto serão assumidos pelas distribuidoras do grupo Neoenergia. A iniciativa vai atingir o consumidor de baixa renda que tem um consumo médio de até 80 quilowatt-hora (kWh) mensal. O objetivo da iniciativa é fazer com que o consumidor de baixa renda apresente um consumo mais eficiente da energia elétrica. A empresa não revelou o valor total do investimento, quem bancará os recursos que serão investidos e nem o número previsto de geladeiras.
Um técnico do setor estima que serão subsidiadas a venda de 19,6 mil geladeiras para consumidores dos três Estados.
O financiamento da compra do eletrodoméstico ocorrerá pelo Banco Popular e Banco do Brasil. O Grupo Neoenergia planeja lançar um programa deste tipo desde 2006.
A Celpe e Coelba já fizeram um programa de distribuição de geladeiras nos Estados de Pernambuco e na Bahia, respectivamente, que começou em 2006.
ANTERIOR
No ano passado, a Celpe distribuiu 1,5 mil geladeiras em 30 comunidades carentes do Grande Recife na segunda etapa do programa de eficiência energética da companhia. Nas mesmas localidades, também foram doadas 25 mil lâmpadas fluorescentes. O investimento anunciado foi de R$ 8,5 milhões.
Nesse programa foram contemplados os clientes que apresentaram um consumo superior a 60 quilowatts-hora por mês (kWh) e inferior a 120 kWh nos últimos 90 dias, que tinham um refrigerador em condições precárias e tivessem cadastrados no Bolsa-Família do governo federal. Para receber a geladeira, o consumidor deveria apresentar uma renda familiar de até três salários mínimos. A geladeira nova era trocada pela velha, que era recolhida no escritório da empresa, no Bongi.
O CFC das geladeiras que foram recolhidas pela empresa também foram retirados dos eletrodomésticos para serem reciclados. O CFC é um dos gases nocivo à camada de ozônio da atmosfera.
No ano de 2006, a distribuidora doou 1380 geladeiras para clientes de baixa renda de 88 comunidades carentes do Grande Recife, também dentro do programa de eficiência energética. (Jornal do Commercio).