Ceclin
jun 13, 2014 0 Comentário


Tribunal de Contas propõe medidas para preservar o patrimônio histórico de Paudalho

O conselheiro do Tribunal de Contas de Pernambuco, Ranilson Ramos, juntamente com os técnicos do TCE, Noemi Falcão e Eduardo França, realizou nesta terça-feira (10) uma visita ao Município de Paudalho. O objetivo foi propor ao gestor municipal, José Pereira de Araújo, a formalização de um Termo de Ajuste de Gestão (TAG) com vistas ao cumprimento de medidas no sentido de proteger o Patrimônio Histórico daquele Município.

“O TAG será muito mais para disciplinar a preservação do Patrimônio Histórico. Queremos ajudar o Município a criar um ordenamento que contribua para a captação de recursos junto aos Governos Estadual e Federal, propondo ainda um trabalho de sensibilização junto às famílias proprietárias de imóveis a serem preservados, inclusive com a realização de campanhas e programas envolvendo a sociedade civil”, afirmou Ranilson Ramos.

Acompanhado pelo prefeito José Pereira, a vice-prefeita Abinoã Vasconcelos e os secretários de Cultura, Eduardo Freitas, de Educação e Finanças, Juarez Gusmão, de Obras Tarcísio Cruz e o de Controle Urbano e Mobilidade, Gilson Pereira, o conselheiro percorreu as ruas da cidade e observou, in loco, os principais e mais visitados monumentos da localidade como a Ponte de Itaíba (construída no século XIX), o Mosteirinho de São Francisco (edificação em ruínas), a Igreja de Nossa Senhora da Luz (na zona rural), o Centro Histórico (casario em geral), a antiga Estação Rodoviária e a Igreja Matriz do Divino Espírito Santo.

De acordo com Ranilson Ramos, o que motivou a visita ao Município foi a conclusão do relatório de auditoria de acompanhamento, relativa ao exercício de 2013, apresentado pelos técnicos do TCE, no qual apontam algumas recomendações à Prefeitura visando a contribuir para a melhoria da gestão de preservação do Patrimônio Histórico. Na ocasião, o conselheiro entregou um ofício ao prefeito propondo a elaboração do TAG, já contendo as orientações propostas pelo relatório de auditoria, o gestor terá oportunidade para se pronunciar posteriormente sobre a assinatura do documento.

Com informações do Tribunal de Contas de Pernambuco.