Ceclin
dez 17, 2009 0 Comentário


TRE julga recurso contra prefeito de Gravatá


Acusações vão de abuso do poder econômico a uso da máquina

Jairo Lima e Beatriz Gálvez

Está marcado para hoje (17), no Tribunal Regional Eleitoral (TRE), o julgamento do recurso nº 9045, de autoria do candidato a prefeito derrotado nas eleições de Gravatá, em 2008, Bruno Martiniano (PTB), contra o seu rival vitorioso e atual prefeito, Ozano Brito (PSDB). O petebista pede a cassação do mandato e diploma do prefeito sob a acusação de abuso de poder econômico e utilização da máquina pública durante a campanha eleitoral. As investigações correm em segredo de Justiça dentro da esfera do TRE.
“Estamos bastante confiantes no julgamento do Tribunal. Queremos que a vontade da população de Gravatá seja feita mesmo depois da eleição que teve muita fraude. Perdemos por apenas 90 votos de diferença, ainda foi uma vitória apertada para quem não foi honesto”, disse Martiniano.

Segundo o petebista, Ozano Brito teria utilizado a máquina para conceder descontos e quitação das dívidas da população com o IPTU. “Ele queria a isenção do imposto e usou a Câmara dos Vereadores para levantar um projeto que existia desde 1989.

Tinha gente com quatro anos de dívida de IPTU e ele prometeu que ficariam zerados, não o fez, ele enrolou o povo”, disse Martiniano.
“Fizemos uma campanha limpa e humilde e merecemos melhor sorte”, avisou Martiniano. Ozano Brito não retornou às ligações da reportagem.

(Folha de Pernambuco).