• Ceclin
mai 04, 2018 0 Comentário


Trade turístico, Governo do Estado e Prefeitura do Recife se unem contra a privatização do Aeroporto do Recife

Quem abriu o Seminário foi o deputado Felipe Carreras. Antes mesmo de começar sua apresentação, ele fez duas críticas à ausência de representantes do Governo Federal. Fotos: Divulgação

Quem abriu o Seminário foi o deputado Felipe Carreras. Antes mesmo de começar sua apresentação, ele fez duas críticas à ausência de representantes do Governo Federal. Fotos: Divulgação

Durante Seminário realizado na quinta-feira, no Cais do Sertão, instituições declararam abertamente apoio à luta contra a forma de concessão proposta pelo Governo Federal

Mesmo com a ausência de representantes do Governo Federal, que não enviou representante, o Seminário sobre a Privatização do Aeroporto do Recife foi considerado bastante positivo pelos expositores e pelo público presente, formado principalmente por funcionários da Infraero, pelo trade turístico e por estudantes de Turismo. Comandado pelo vice-presidente da Comissão de Turismo da Câmara dos Deputados, o deputado Felipe Carreras (PSB), o evento contou ainda com o prefeito Geraldo Júlio (PSB), os secretários de Planejamento do Estado, Márcio Stefani, de Turismo, Esportes e Lazer do Estado, Manuela Marinho, de Turismo, Esportes e Lazer do Recife, Ana Paula Vilaça, os presidentes dos Conventions Bureau do Recife, Martha Freitas, e de Porto de Galinhas, Otaviano Maroja. Eles expuseram de forma bastante clara o ponto de vista de suas respectivas entidades sobre o modelo de privatização do Aeroporto do Recife. De forma unânime, se posicionaram contra a alteração do modelo de concessão individual, como o Ministério dos Transportes estava fazendo até o último ano, para o modelo em lotes, agrupando vários terminais em uma única licitação. Segundo os painelistas, é impossível que o equipamento recifense receba os investimentos devidos se a empresa vencedora do certame tiver que manter outros cinco aeroportos deficitários, sendo eles João Pessoa, Aracaju, Campina Grande, Juazeiro do Norte e Maceió.

Felipe Carreras e Geraldo JúlioQuem abriu o Seminário foi o deputado Felipe Carreras. Antes mesmo de começar sua apresentação, ele fez duas críticas à ausência de representantes do Governo Federal, lembrando que foram convidados representantes do Ministério dos Transportes, Secretaria de Aviação Civil, Agência Nacional de Aviação Civil e Infraero. “Nós fizemos questão de deixar o lugar deles vazio, para mostrar como eles desrespeitaram o povo pernambucano, a Câmara dos Deputados e todos os interessados sobre o assunto. Isso demonstra claramente que o interesse deles é continuar com este processo de qualquer forma, mas não vamos permitir. Pernambuco não baixa a cabeça. O povo não vai admitir discriminação com o nosso Estado”, declarou.

Na apresentação, o deputado voltou a esclarecer os motivos pelos quais a privatização do Aeroporto do Recife está transcorrendo de forma errada. “Alguns pontos são muito claros. Não existe uma política de aviação para o Brasil. O que existe é uma decisão política de lotear os aeroportos. Não tem estudo que demonstre que a mudança é saudável. Não há equiparação de investimentos no Recife em relação aos que já foram privatizados de forma individual, como Salvador, que está recebendo R$ 2,8 bilhões em investimentos e o Recife, caso este processo continue, vai receber apenas cerca de R$ 800 milhões. Não existe uma definição concreta sobre o futuro dos funcionários da Infraero. E vários outros pontos. Eles estão perdidos e querem drenar o lucro do aeroporto do Recife para manter outros cinco deficitários. Isso não vamos permitir”, afirmou Carreras.

O prefeito Geraldo Julio manteve o tom e também falou sobre os prejuízos para a capital com este modelo de privatização. “Ninguém garante que em 30 anos nós vamos manter a excelente qualidade que temos hoje. Não podemos permitir de forma alguma que algo atrapalhe a linha de crescimento do Aeroporto do Recife. É um equipamento estratégico para o crescimento do Recife, de Pernambuco e do Nordeste. Qualquer alteração pode prejudicar toda a economia gerada pelo equipamento, que vai desde os restaurantes, hotéis, agências de viagens, taxistas, comerciantes e vários outros”, comentou.

Representando o trade turístico, Otaviano Maroja destacou que tudo que for feito em relação ao Aeroporto do Recife precisa ser muito bem pensado. Segundo ele, o equipamento é a principal porta de entrada para Pernambuco, mas também para os Estados vizinhos, como Paraíba, Alagoas e Rio Grande do Norte. “É preciso ficarmos atentos ao que estão fazendo com o Aeroporto. Somos completamente contra a esta forma de privatização e estamos unidos, todo o trade, com o Governo de Pernambuco, a Prefeitura do Recife e o deputado Felipe Carreras contra esta forma de descriminação contra o nosso Estado”, afirmou o presidente do Convention Bureau de Porto de Galinhas.

Ao final do Seminário, o deputado Felipe Carreras confirmou que promoverá uma Audiência Pública no Recife, nos próximos dias, para dar voz ao povo pernambucano que tem dúvidas sobre o assunto. Todos os órgãos do Governo Federal serão convidados novamente para participar do evento.