• Ceclin
jul 22, 2019 0 Comentário


Trabalhadores continuam mobilizados contra ‘reforma’. Dia 13 tem greve geral

coordenador geral do Sindsep-PE, José Carlos OliveiraA pressão da classe trabalhadora para evitar o desmonte da Previdência pública não para. A CUT e as demais centrais sindicais aprovaram a realização do Dia Nacional de Mobilizações, com assembleias, paralisações e greves, em 13 de agosto. A UNE também está convocando uma mobilização, que irá levar estudantes às ruas dos mais diversos Estados, nessa mesma data.

As centrais aprovaram ainda uma agenda de preparação para o dia 13. Até a próxima sexta (26/07), os sindicatos realizarão assembleias para  mobilizar suas bases.

Entre os dias 29 de julho e 02 de agosto, os trabalhadores devem promover atos nas bases dos parlamentares, nas cidades onde moram e nos aeroportos. Essa também será a Semana Nacional de Coleta de assinaturas para o abaixo assinado contra reforma da Previdência. Entre os dias 5 e 12 de agosto, serão realizadas panfletagens com a divulgação dos nomes dos deputados que votaram contra os trabalhadores na primeira  votação da reforma, na Câmara.

Durante esse período, os representantes dos trabalhadores irão dialogar com os deputados e senadores em Brasília. A proposta de Bolsonaro ainda terá votação em segundo turno, na Câmara. Depois, ela segue para o Senado, onde será votada em dois turnos. “Apesar das alterações que os deputados promoveram, as mudanças ainda representam prejuízos enormes para os trabalhadores. Por isso, a luta continua”, garantiu o coordenador geral do Sindsep-PE, José Carlos de Oliveira.

Sindicato dos Servidores Públicos Federais de Pernambuco – SINDSEP-PE