Ceclin
set 19, 2012 0 Comentário


Tiririca entre os 25 melhores deputados de 2012

(Foto: Agência Brasil)

Por Nilton Villanova, do FolhaPE

Esta semana o gabinete do parlamentar publicou a primeira edição de um boletim composto por oito páginas, no qual constam informações em forma de relatórios sobre suas ações na Câmara. O boletim reúne de propostas apresentadas por ele, a audiências das quais participou, além das aplicações de suas emendas parlamentares.

Em agosto, Tiririca conseguiu com que uma proposta de sua autoria desse o primeiro passo para virar lei, um dos motivos que levou diversos jornalistas ligados à Camara a indicarem-no como um dos 25 melhores deputados do ano de 2012. O palhaço disputará o Prêmio Congresso em Foco 2012, que será definido agora pelo voto do internauta e entregue no dia 8 de novembro.

Tiririca comemora: “Para mim, só de estar na lista é uma vitória. Não sou político, estou político. É uma diferença grande. Estou bem pra caramba. E o mais importante: sem deixar de ser eu mesmo aqui”, finalizou. O deputado também diz crer que surpreendeu positivamente o eleitorado: “Estou superfeliz com isso, mostrando para os meus eleitores que eles não deram voto perdido. Não estou fazendo feio. Não quero decepcionar o povo nem me decepcionar”, declarou.

Após 21 meses na Câmara, Tiririca diz estar “totalmente adaptado” à vida parlamentar e que se sente cada vez mais à vontade. “Cabe a você caminhar pelo caminho certo ou errado. Aqui, tem esses dois caminhos. A responsabilidade é maior, qualquer vacilo que eu der, a imprensa e os colegas vão cair em cima: ‘Ó, o palhaço está fazendo palhaçada’”, afirmou. “Me sinto vigiado aqui 24 horas por dia”, declarou.

Em 22 de agosto, conseguiu a aprovação de um projeto de lei que apresentou em 2011 à Comissão de Seguridade Social e Família da Câmara (CSSF), que aprovou por unanimidade. O projeto consiste na criação de um programa de amparo aos profissionais circenses, incluindo-os na Lei Orgânica de Assistência Social, uma vez que estes, pela falta de comprovação de residência fixa, muitas vezes não são atendidos em hospitais públicos ou sequer podem matricular seus filhos em escolas públicas. Aprovado pela CSSF, o projeto de lei agora segue para a Comissão de Constituição e Justiça (CCJ). A inclusão garantiria os direitos básicos de saúde e educação para os profissionais do circo, mesmo sem comprovação de residência.

Tiririca afirma que tal projeto de lei é uma das suas maiores prioridades como parlamentar. “Sou o único com essa bandeira do circo. Sou um cara circense. E estou firme nessa bandeira. Pode até não dar em nada, mas estou fazendo muito barulho”.