Ceclin
nov 02, 2013 0 Comentário


Tempo quente em Água Preta para a eleição suplementar

Fotos: Clemilson Campos/JC Imagem

Basta chegar em Água Preta, município situado na Zona da Mata Sul de Pernambuco, para perceber que há algo diferente acontecendo por lá. A maioria das casas sustenta no telhado uma bandeira, vermelha ou amarela e laranja. Carros de som transitam a toda hora. Ocorre que, neste domingo (3), cerca de 22 mil pessoas devem ir às urnas para escolher novamente um prefeito.

Na votação de outubro passado, o candidato Armando Souto (PDT) venceu a disputa com 52,75% dos votos, mas teve o registro de candidatura cassado porque o próprio partido questionou a postulação dele. Como o pedetista obteve mais da metade dos votos válidos, em maio, o Tribunal Superior Eleitoral (TSE) decidiu por realização de novo pleito.

A nova campanha foi marcada por rivalidade exacerbada e agressões, tanto entre os candidatos quanto entre moradores. Na disputa, estão Armando – que, por meio da direção nacional, conseguiu apoio do partido para se candidatar – e Eduardo Coutinho (PSB).

A disputa também foi parar na Justiça. Armando entrou com uma ação questionando a candidatura de Coutinho alegando que, se eleito, ele terá o terceiro diploma seguido de prefeito, o que não é permitido pela legislação eleitoral. Ocorre que o socialista cumpriu um mandato (2008-2012) e, após vencer na Justiça, assumiu o Poder Executivo entre janeiro e outubro deste ano até o TSE resolver pelas novas eleições. Quando houve a decisão de outro pleito, o presidente da Câmara, Elias de Alegrete (PTN), ficou no posto interinamente.

Armando perdeu na primeira instância e diz que pediu aos advogados para não recorrerem ao TRE-PE. Ela afirma que quer “vencer no voto, não no tapetão”.

Clima acirrado 

A Secretaria de Defesa Social (SDS) de Pernambuco expediu nessa sexta-feira (1º) uma portaria que decreta lei seca durante este domingo (3) em Água Preta. A ação tem por objetivo promover a segurança durante as eleições municipais na cidade.

Pelo documento, fica proibido a venda e o consumo de bebida alcoólica, das 6h até as 18h no dia da eleição. A fiscalização das medidas será feita pelas polícias Militar e Civil.

Mais de 22 mil eleitores devem ir às urnas no município. O pleito deve ocorrer das 8h às 17h, horário vigente no Estado.

Entenda o caso

Nas eleições de outubro, Eduardo Coutinho ficou em segundo lugar, mas o candidato mais votado, Armando Souto (PDT), foi cassado porque o registro da candidatura dele estaria irregular. Eduardo Coutinho foi então diplomado prefeito do município, em dezembro passado. Logo depois, o TSE decidiu anular as eleições e convocar um novo pleito.

Em agosto, o Tribunal Regional Eleitoral decidiu afastar Eduardo Coutinho do cargo. Ele conseguiu, porém, uma liminar no TRE para ficar na prefeitura até uma nova decisão do tribunal, decisão esta que saiu no dia 27 de agosto e determinou que a prefeitura do município ficaria sob a responsabilidade do presidente da Câmara Municipal, Elias de Alegrete (PTN).

 com informações do Blog de Jamildo