• Ceclin
set 28, 2018 0 Comentário


Temer e Mendonça são responsáveis pelo sucateamento que derrubou a UFPE, denuncia Humberto

Segundo Humberto, a queda dos investimentos e os declínios no ranking podem alimentar um círculo vicioso e causar, por exemplo, a saída de talentos do País. Foto: Divulgação

Segundo Humberto, a queda dos investimentos e os declínios no ranking podem alimentar um círculo vicioso e causar, por exemplo, a saída de talentos do País. Foto: Divulgação

Os cortes de recursos para as instituições de ensino superior promovidos por Michel Temer nos últimos dois anos, tendo como ministro da Educação Mendonça Filho (DEM), fizeram seis universidades brasileiras, entre elas a Federal de Pernambuco (UFPE), saírem da lista das mil melhores do mundo de 2018. Esta é a avaliação do líder da Oposição ao governo no Senado, Humberto Costa (PT-PE), e também de Phil Baty, diretor da Times Higher Education, publicação britânica prestigiada responsável pelo ranking.

Para Humberto, a saída de instituições do País entre as mil melhores do planeta alerta para um quadro sombrio no Brasil, resultado direto dos cortes orçamentários feitos durante a gestão de Mendonça Filho (DEM) como ministro da Educação de Temer. Hoje, ele é candidato ao Senado em Pernambuco. “Compartilho da mesma ideia levantada no estudo. Temer e Mendonça estrangularam as universidades, acabando com o ensino e a pesquisa. Eles afundaram a educação brasileira e essa grave perda que hoje amarga a UFPE é responsabilidade direta desse ex-ministro mãos-de-tesoura”, afirmou o senador.

Segundo ele, a queda dos investimentos e os declínios no ranking podem alimentar um círculo vicioso e causar, por exemplo, a saída de talentos do País. De acordo com a Times Higher Education, é o segundo ano consecutivo que o Brasil perde espaço na lista. Na edição deste ano, são 15 brasileiras ante 21 no ano passado e 27, em 2016. Entre as seis universidades retiradas da lista deste ano estão a UFPE, a UERJ e a UFRN.

“Ao contrário do que os governos de Lula e Dilma fizeram pela educação, com o ministro Fernando Haddad sendo o responsável pela maior criação de vagas em universidades da história do País e pelo lançamento do ProUni, do novo FIES, do novo Enem e do programa Caminho da Escola, Temer e Mendonça promoveram uma verdadeira destruição da educação do país”, declarou.

Humberto lembrou que, apenas no primeiro semestre do ano passado, a UFPE sofreu com um contingenciamento de 23% de sua verba. Ela foi a sétima universidade do país mais prejudicada pelos bloqueios orçamentários promovidos por Temer e Mendonça Filho. Os cortes no orçamento atingiram 44 das 64 universidades federais do país no período. “As consequências dessa política nefasta estão aí: universidades em frangalhos, sem dinheiro para pagar a manutenção básica, prédios sucateados, salários de terceirizados atrasados, laboratórios sem material, entre outros vários problemas. A educação foi jogada na lata de lixo por essa gestão golpista e desastrosa”, detonou Humberto.

 CARTA COMPROMISSO 

Plataforma CUT-Humberto

O líder da Oposição a Temer no Senado e candidato à reeleição, Humberto Costa (PT-PE), assinou, na quarta-feira (26/9), uma carta-compromisso em defesa dos direitos da classe trabalhadora, na sede da Central Única dos Trabalhadores em Pernambuco. Humberto recebeu os documentos com as plataformas da CUT-PE, CUT Nacional e das mulheres da CUT para as eleições de 2018 e reafirmou a importância de se eleger políticos comprometidos com os trabalhadores para evitar que mais retrocessos ocorram. O senador destacou que o conteúdo das plataformas vão servir como referência para as suas ações em defesa das trabalhadoras e trabalhadores brasileiros.

Durante a ocasião, o presidente da CUT-PE, Paulo Rocha, falou sobre a importância da eleição de uma bancada de deputados e senadores comprometidos com os trabalhadores. “Precisamos de parlamentares engajados na pauta dos trabalhadores, como é o caso de Humberto, que vai atuar na defesa dos nossos direitos, que vai lutar contra retrocessos e com quem sabemos que poderemos contar para lutar também contra a Reforma da Previdência, que o presidente Temer quer aprovar ainda este ano com a ajuda de seus aliados, entre eles seus ex-ministros, candidatos ao Senado aqui em Pernambuco”, afirmou.