Ceclin
mar 24, 2011 6 Comentários


STF libera os ficha-suja de 2010

Beneficiados aguardam hora da posse


BRASÍLIA (AE) – Pela decisão de ontem, proferida pelo Supremo Tribunal Federal (STF), todos os candidatos barrados pela Lei da Ficha Limpa que tiveram votos suficientes para se elegerem devem tomar posse nas próximas semanas, entre eles Jader Barbalho (PMDB-PA), João Capiberibe (PSB-AP) e Cássio Cunha Lima (PSDB-PB). Para precisar quantos deputados terão de deixar os mandatos para dar lugar a fichas sujas, será necessário recalcular o quociente eleitoral.


Só depois disso será possível determinar quantos parlamentares terão o mandato interrompido. O Tribunal Superior Eleitoral (TSE) informou ontem que não dispõe da relação de políticos que assumirão vagas no Congresso. A decisão é uma derrota para o Tribunal Superior Eleitoral (TSE), que desde o início defendeu a aplicação imediata da lei e adia a entrada em vigor de uma nor­ma que teve origem numa iniciativa popular, com o apoio de 1,6 milhão de pessoas.

“LOUVADO”


O ex-governador da Paraíba, Cássio Cunha Lima, usou o Twitter para se manifestar, ontem à noite, sobre a decisão do Supremo Tribunal Federal (STF), que pode contemplá-lo com um mandato de senador. “Louvado seja Deus! Sem palavras para agradecer. Saberei honrar este mandato”, disse o ex-governador da Paraíba.
Cunha Lima teve a candidatura ao Senado barrada com base na lei da Ficha Limpa. Mesmo assim, disputou as eleições de outubro do ano passado, obteve mais de um milhão de votos, mas não foi diplomado. A segunda vaga de senador pela Paraíba ficou com o terceiro colocado nas últimas eleições, o então deputado federal Wilson Santiago (PMDB). A primeira, ficou com o então deputado federal Vital do Rêgo Filho (PMDB).
A decisão do STF foi comemorada por eleitores do ex-go­vernador no Twitter e nas ruas de Campina Grande (principal base eleitoral da família Cunha Lima) e João Pessoa. Cunha Lima terá de esperar o julgamento do seu recurso contra a Lei da Ficha Limpa no STF, cujo relator é o ministro Joaquim Barbosa.

(Folha de Pernambuco).