• Ceclin
mai 08, 2012 0 Comentário


Stevam Rios aborda “Gravidez de Risco” no Mesa Redonda

Pode-se considerar uma gravidez de risco quando ocorre na gestação qualquer doença materna ou condição sócio-biológica que pode prejudicar a sua boa evolução. Na gestação de alto risco existe risco maior para a saúde da mãe ou do feto. Para tratar sobre este assunto, contou-se com a presença do Ginecologista e Obstetra Dr. Stevam Rios, do Centro Clínico da Vitória de Santo Antão (CECLIN), no Mesa Redonda do Programa A VOZ DA VITÓRIA, no início da tarde da sexta-feira (04), pela Rádio Tabocas FM (98,5).

Dependendo dos fatores envolvidos, o mais importante é sempre fazer o acompanhamento mais rigoroso segundo Stevam Rios. “A melhor maneira de se evitar uma gravidez de risco é seguindo corretamente as orientações dadas pelo médico no pré-natal”, aconselhou. Existem alguns fatores que podem ou não determinar se essa gravidez possa ser de risco. Como o fato da mulher ser mãe com menos de 17 anos ou maior de 35, altura menor do que 1,45m, exposição a agentes físico-químicos nocivos e estresse, má aceitação da gestação pelos envolvidos, situação conjugal insegura, vulnerabilidade no perfil sócio-econômico, peso maternal  inadequado, dependência de drogas lícitas ou ilícitas. “Mas o ideal mesmo é que a mulher faça a prevenção antes de engravidar”, conclui.

Há outros fatores que implicam na complexidade do caso, deve-se levar em conta o crescimento uterino maior ou menor do que o esperado, gestação múltipla, não realização do pré-natal, hipertensão associada à gestação, diabetes, ganho de peso excessivo, ruptura prematura de membranas e doenças correlacionadas ao sangue.

Quanto a registro de abortos provocados que envolvem inclusive decisões judiciais, como os comumente noticiados na mídia a exemplo dos fetos anencéfalos, Rios destacou que há outros casos que se assemelham as razões de desestruturação do feto. “Há problemas relacionados a ausência do Rim, bem como problemas relacionados com formações cardíacas importantes, dentre outros. O registro de anencéfalos são mais comuns”, salientou.

Na oportunidade, foi abordado ainda a importância da realização da Campanha Nacional de Vacinação contra a Gripe H1N1, sobretudo voltado ao público infantil e da terceira idade. Foi explicado a atenção que precisa ser redobrada quando se trata dos bebês prematuros, em virtude destes deterem um sistema imunológico ainda baixo. Do mais, comentou-se ainda o registro de uma década das ‘Quadrigêmeas da Vitória de Santo Antão’ completados em abril deste ano, pelo qual Stevam Rios é o padrinho destas quatro meninas que ele acompanha desde o parto. “Elas estão bem! Tão estudando e bem de saúde. Conta com ajuda de algumas pessoas. É bom que assim continue em razão delas terem se tornado um cartão de visita da Vitória de Santo Antão”, finalizou.