Ceclin
jul 03, 2017 0 Comentário


Só a pressão das ruas pode barrar as reformas trabalhista e previdenciária, alerta Sindsep-PE

Derby_2 Sindsep-PE

Não há mais o que esperar. A população brasileira não pode assistir inerte a tantas atrocidades contra a classe trabalhadora. Mesmo com uma rejeição de mais de 90% e com provas cabais sobre o envolvimento do presidente ilegítimo Michel Temer em crime de corrupção, o governo avança com as reformas que retiram direitos dos trabalhadores. Nem a greve geral agenciada para sexta passada, dia 30, nem outras tantas mobilizações já realizadas contra as reformas trabalhistas e previdenciária têm sido suficientes para barrar a ganância do Executivo e do Congresso Nacional no assalto aos direitos dos trabalhadores. É preciso mais pressão.

Na noite da última quarta-feira, dia 28, a Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) do Senado aprovou o texto original da reforma trabalhista, tal qual foi aprovada pela Câmara dos Deputados e pela Comissão de Assuntos Econômicos do Senado. Autor da reforma trabalhista na CCJ e homem forte do presidente ilegítimo, o senador Romero Jucá está submerso em acusações de corrupção, assim como seu chefe, Michel Temer. Após aprovar a reforma na CCJ, Jucá articula agora a votação do projeto no plenário do Senado, previsto para acontecer terça ou quarta desta semana.

No dia da votação no plenário, depois de coordenar mais uma greve que parou o País na sexta passada, as centrais sindicais prometem realizar uma grande mobilização em Brasília para pressionar os senadores a votarem contra a reforma trabalhista. Ocupar as ruas é a única saída para barrar as reformas. É preciso um movimento de massa, envolvendo a maioria da população, capaz de inibir governo e Congresso a usurparem direitos históricos, conquistados com muita luta. É ocupar as ruas e dizer que não aceitamos retrocessos.

Além disso, precisamos dá o troco aos parlamentares favoráveis a retirada de direito dos trabalhadores, como o senador pernambucano Armando Monteiro (PTB), um dos membros da CCJ que votou a favor da reforma trabalhista. Quem vota contra o trabalhador não merece nosso voto. Lembre-se disso. Vamos dá o troco nas urnas, nas eleições do ano que vem.

Sindicato dos Servidores Públicos Federais de Pernambuco – SINDSEP-PE