Ceclin
jul 08, 2009 11 Comentários


Sintepe fala da greve no a VOZ DA VITÓRIA

O Sintepe apresentou ao Governo do Estado, em janeiro deste ano, quando deveria ter sido aprovado o reajuste salarial, uma pauta com 24 reivindicações. Como não foi aceito o que foi solicitado, após seis meses, os professores da rede estadual decretaram, na segunda-feira (6), greve por tempo indeterminado, até que seja efetivado o cumprimento integral da lei do piso salarial.

Heleno Araújo, presidente do Sindicato dos Trabalhadores em Educação do Estado de Pernambuco (SINTEPE), está tentando convencer a categoria a deflagrar uma greve geral a partir desta quinta-feira sob o argumento de que a Secretaria de Educação paga hoje a um professor de nível médio o pior salário do Brasil, segundo Entrevista concedida ao Programa A VOZ DA VITORIA, pela Rádio Tabocas FM, nesta quarta-feira (08) pela manhã.

Com a palavra para contestar essa informação, se por acaso for inverídica, o secretário Danilo Cabral.

O Sintepe entregou uma pauta de 24 itens ao Secretário e diz só que 50% deles implicam aumento de despesa.

Entre as principais reivindicações da categoria está o reajuste na base salarial de 19,2%, a convocatória dos professores e servidores administrativos aprovados no ultimo concurso realizado no início deste ano e a reconsideração do modelo de gestão baseado na lógica empresarial. De acordo com Heleno Aráujo, Presidente do Sintepe, a presença de técnicos que fiscalizam com um cronômetro o trabalho dos professores em sala de aula interfere no exemplo pedagógico aplicado e causa constrangimento aos alunos e professores.

Os grevistas ressaltam o desejo de que haja um acordo em breve, pois se não for assim, na volta às férias, um milhão de alunos serão prejudicados. São 66 mil funcionários da educação e 40 mil professores em greve. Na próxima sexta-feira (10), a categoria realiza uma assembléia, às 14h, em frente à Secretaria de Educação para debater os rumos do movimento.

Por Lissandro Nascimento.