Ceclin
jul 23, 2018 0 Comentário


SINTEPE: Educação como prática libertadora!

O Sintepe realizou nos dias 19 e 20 de julho o Conselho Estadual de Representantes, no Centro de Formação e Lazer (CFL) do SINDSPREV, no bairro da Guabiraba, no Recife. A atividade está prevista no Estatuto e se caracteriza como um momento de formação e discussão política, educacional brasileira e decisões do Sindicato. Fotos: Agência JC Mazella

O Sintepe realizou nos dias 19 e 20 de julho o Conselho Estadual de Representantes, no Centro de Formação e Lazer (CFL) do SINDSPREV, no bairro da Guabiraba, no Recife. A atividade está prevista no Estatuto e se caracteriza como um momento de formação e discussão política, educacional brasileira e decisões do Sindicato. Foto: Agência JC Mazella

Com a participação de representantes das três forças políticas que compõem a sua direção executiva, o Sintepe realizou nos dias 19 e 20 de julho o Conselho Estadual de Representantes (CER). A iniciativa reuniu 38 coordenadores/as dos Núcleos Regionais, a diretoria do Sindicato (31), os/as 29 representantes Setoriais e os/as 64 delegados /as municipais no Centro de Formação e Lazer (CFL) do Sindsprev, no bairro da Guabiraba, no Recife. Na ocasião, os conselheiros realizaram o lançamento da 14º Conferência Estadual de Educação, aprovaram o regimento do Conselho e discutiram o atual cenário político brasileiro.

Em um ponto, todos os debatedores concordam: o cenário político atual é resultado de um movimento internacional conservador e do acirramento da luta de classe. Para Antônio Pessoa, representante da Articulação de Esquerda, os conservadores têm enfrentado esse acirramento com exploração e a opressão da classe trabalhadora. Nas eleições de 1989, por exemplo, os veículos de comunicação apoiaram a candidatura de Fernando Collor de Melo usando o mesmo discurso utilizado para derrubar a presidente Dilma: a luta contra a corrupção. Collor venceu as eleições deu início à desvalorização da indústria nacional e realizou medidas que impactaram negativamente na vida dos mais pobres.

As gestões Lula e Dilma também foram analisadas e, para os facilitadores, a ausência de um reajuste fiscal eficiente no governo Dilma, a não realização de mudanças estruturais no governo e também nos meios de comunicação possibilitaram um cenário propício para o descontentamento da população, o fortalecimento de um judiciário e de uma mídia sem controle social. Segundo Messias Melo, representante da Articulação Sindical, a digitalização do trabalho como aprofundamento da Revolução Industrial é um ponto importante nesse debate. Com a digitalização há uma nova forma de conquistar mentes através dos meios de comunicação e dos meios digitais e para isso o aprofundamento do conhecimento é essencial para se libertar. “A Primavera Árabe outras manifestações foram convocadas através do WhatsApp. Libertem-se da dependência digital. Não leia apenas manchetes de WhatsApp, leiam a notícia inteira, leiam livros, mesmo que seja no ambiente digital”, disparou Melo.

Para superar o golpe, Hebert Bezerra, representante da Central dos Trabalhadores e Trabalhadoras do Brasil (CTB), acredita que o campo da esquerda deva trazer o centro para o mesmo lugar e rearrume suas forças políticas. “Só com a nossa bandeira não se constrói uma Frente Ampla. Precisamos trazer o centro (para esse debate). Precisamos de amplitude para renovar 2/3 do Senado, a Câmara e 27 governadores”, defendeu Bezerra. Já Messias Melo argumentou que a esquerda deveria se unir em torno do nome de Lula e sustentar sua candidatura com a junção dos campos da esquerda e  dos centro-esquerda. “O ideal é que tivéssemos todos os partidos do campo da esquerda juntos na eleição nacional para o pleito de 2018”, idealizou.

No CER, a primeira mesa de discussão tratou da análise da conjuntura politica, social, econômica e educacional. A reforma do ensino médio, a Base Nacional Comum Curricular (BNCC), a “escola sem partido”, a gestão democrática foram temas discutidos durante o Conselho. O planejamento do Sintepe para o 2º semestre de 2018 foi, também, assunto do nosso CER.

Para concluir nossa atividade, fomos receber a marcha dos trabalhadores e trabalhadoras Sem Terra na Praça do Derby, em Recife, concluindo nossa formação politica na rua, alimentando nossa esperança e exercendo a educação como prática da liberdade.

Conferência – Durante o Conselho de Representantes, o Sintepe lançou a sua 14º Conferência Estadual de Educação. O evento bienal será realizado entre os dias 29 e 31 de agosto, no Hotel Canariu’s, em Gravatá. Com o tema “Educação como prática da liberdade”, a Conferência homenageia Paulo Freire no ano de aniversário de 50 anos da publicação do livro Pedagogia do Oprimido. As inscrições na sede e núcleos regionais começarão no dia 7 de agosto e poderão participar associados e não associados desse momento de formação sindical, com o valor de R$ 50,00 para os filiados. O lançamento contou com a participação de integrantes da Comissão da Conferência e de Heleno Araújo, Presidente da Confederação Nacional dos Trabalhadores em Educação.

Sindicato dos Trabalhadores em Educação do Estado de Pernambuco – SINTEPE