Ceclin
Maio 04, 2020 0 Comentário


Sinpro-PE condena presença de professores da rede particular durante suspensão das aulas

sala de aulaNa última semana de abril, os sindicatos da educação privada em Pernambuco, tanto o laboral quanto o patronal, retornaram as discussões, a fim de tratarem sobre o retorno das atividades escolares no mês de maio de 2020. Avaliando o conjunto de dificuldades existentes e as orientações legais que direta e indiretamente pautam o atual contexto de pandemia da Covid-19 e atividades escolares, as entidades sindicais avaliaram que o ensino remoto seria o mais razoável caminho para o atendimento e oferta da educação nesse período extraordinário de pandemia. Saída essa já apontada pela Resolução nº 03 do Conselho Estadual de Educação e Parecer do Conselho Nacional de Educação.

O Sinpro Pernambuco condenou a postura de inúmeras escolas da rede privada no Grande Recife em convocar os professores para desenvolverem o material didático que será utilizado pelos alunos através da internet dentro das unidades escolares. Os profissionais estão sendo convocados para gravar vídeos diretamente no prédio escolar, para assim, alimentar o conteúdo que será compartilhado nas plataformas digitais utilizadas pelos colégios particulares.

O Sindicato orienta que o trabalho docente remoto, esse será produzido, preferencialmente, na modalidade home-office, ou seja, no domicílio do(a) professor(a), a fim de evitar qualquer exposição do profissional nos meios públicos e possível contaminação.

A recomendação do Sinpro-PE se ampara com as determinações governamentais, as quais permanecem proibidas reuniões com mais de dez participantes ou quaisquer formas de aglomeração de pessoas. “É razoável que a escola, pelo menos nas primeiras semanas de maio, oferte treinamentos e capacitações não presenciais ao seu corpo docente, visando o planejamento das atividades pedagógicas remotas. Os(as) professores(as) que estão no grupo de risco em relação a Covid-19 não poderão se deslocar de seus domicílios até as escolas, devendo permanecer em isolamento social e realizar seus trabalhos na modalidade home-office”, orienta nota do sindicato.

Segundo o Professor e dirigente sindical Daniel Max, permanece, portanto, proibida às escolas particulares de Pernambuco a oferta, durante o período da pandemia, de ensino presencial. “É insano forçar o professor a se deslocar até as escolas para fazer um trabalho remoto. Grande parte dos docentes dependem do transporte público para se deslocar no Grande Recife, o que pode expor a integridade física desses profissionais diante do risco de contágio”, denunciou Max.