Ceclin
Maio 04, 2020 0 Comentário


Sindicato denuncia demissão de 1.600 merendeiras em Pernambuco

Mil e seiscentos merendeiras das escolas estaduais de Pernambuco foram demitidas por conta do encerramento contratual da empresa terceirizada Adlim com a Secretaria Estadual de Educação. O Sindicato dos Trabalhadores em Asseio e Conservação de Pernambuco (Stealmoaic) protocolou uma denúncia ao Ministério Público do Trabalho (MPT) contra o Governo de Pernambuco.

O sindicato aponta que “a troca da empresa terceirizada, que é responsável pela contratação de merendeiras das escolas públicas estaduais, é uma decisão arbitrária, principalmente no momento de pandemia que estamos vivenciando, onde houve a necessidade de suspensão das aulas nas escolas”.

Para o Stealmoaic, uma alternativa seria suspender o trabalho, conforme o artigo 8º da MP 936/2020 do Governo Federal, que permite durante o estado de calamidade pública, o empregador acordar a suspensão temporária do contrato de trabalho dos seus empregados pelo prazo máximo de 60 dias, fracionável em até dois períodos de 30 dias e não optar pela demissão em massa.

*Com informações da assessoria