Ceclin
jan 11, 2009 0 Comentário


Sete prefeitos com pendências judiciais

Publicado em 11.01.2009

Além das três cidades onde já estão confirmadas novas eleições, seis outros municípios podem ir às urnas novamente. Já em Tracunhaém, se a atual gestora for cassada, assume a segunda colocada

Os tribunais Superior Eleitoral (TSE) e Regional Eleitoral de Pernambuco (TRE-PE) analisam outros processos que podem redundar em novas eleições, além das que já irão ocorrer em Caetés, Lagoa Grande e Pombos, no dia 8 de fevereiro. Sete prefeitos eleitos em outubro do ano passado permanecem com pendências na Justiça Eleitoral.
Desse grupo, só em Tracunhaém (Mata Norte) um pleito suplementar foi descartado porque se a atual gestora, Graça Lapa, perder o mandato, assumirá a prefeitura a segunda colocada, a ex-prefeita Tereza Cristina Barboza. Nos outros seis casos, a população terá que voltar às urnas, já que os vencedores tiveram mais de 50% dos votos. Isso pode ocorrer em Bodocó, Calumbi, Exu, Itacuruba, Lajedo e Quipapá.
O prefeito eleito de Bodocó (Sertão), Brivaldo Pereira Alves, assumiu o mandato sub judice. Aguarda a análise de um recurso extraordinário protocolado pela oposição. Em Calumbi (Sertão), o prefeito eleito, Erivaldo José da Silva, assumiu em função de uma liminar do desembargador Ademar Rigueira, mas o processo ainda está tramitando no TRE. Seja qual for a decisão, poderá recorrer ao TSE.

O novo prefeito de Exu (Sertão), Welinson Jean Saraiva, também aguarda o publicação do acórdão que deu provimento parcial a um recurso da oposição, já que, em primeiro grau, sua candidatura foi deferida. Após a publicação, o processo será remetido para o juiz da cidade analisar se houve irregularidade em prestações de contas anteriores apresentadas pelo gestor.
O prefeito eleito de Itacuruba (Sertão), Romero Ledo, está esperando a análise de recursos protocolados contra o gestor. A candidatura dele, no entanto, foi deferida pelo TRE e pelo TSE. Em Lajedo (Agreste), o prefeito eleito Antônio Dourado aguarda que o seu processo chegue novamente ao TRE. Hoje está em Brasília. O TRE tem que se posicionar sobre uma indagação feita pelos ministros do TSE relativa à regularidade ou não de prestações de contas apresentadas pelo ex-prefeito.
O processo envolvendo o novo gestor de Quipapá (Mata Sul), Reginaldo Machado Dias, está sendo analisado pelo desembargador eleitoral Francisco Julião. O material estava tramitando no TSE, mas foi devolvido ao TRE para que possa avaliar as alegações dos recursos do candidato, que apelou contra a decisão de primeira instância. O juiz de Quipapá tinha indeferido a candidatura de Reginaldo.

(S.B.)
(Jornal do Commercio).