• Ceclin
mar 25, 2019 0 Comentário


Servidores federais participam de protestos contra reforma da Previdência

Servidores federais participam de protestos contra reforma da Previdência

Os servidores federais marcaram presença, nesta sexta, dia 22, no protesto contra a reforma da Previdência do governo Bolsonaro (PEC-06). Tanto no Recife como em Palmares, o Sindsep-PE participou ativamente das manifestações de rua. A insatisfação é geral e uma demonstração disso foi a grande quantidade de pessoas que saíram da praça do Derby em passeata pela Conde da Boa Vista para denunciar o absurdo que representa essa PEC.

Houve também mobilização de várias categorias nos locais de trabalho, algumas paralisaram, outras realizaram assembleias e muitas reforçaram a passeata. Houve ainda programação no interior do Estado. Todas essas atividades fazem parte do Dia Nacional de Mobilização contra a reforma da Previdência, organizado pela CUT e demais centrais.

“Esse ato marca o reinício da batalha que estamos travando contra a reforma da Previdência. É uma nova fase e a sociedade já começa a perceber o que significa essa proposta de Bolsonaro, que a miséria da classe trabalhadora. Estamos construindo uma greve geral para barrar essa reforma”, salientou o presidente da CUT-PE, Paulo Rocha.

Para o coordenador geral do Sindsep-PE, José Carlos Oliveira, a multidão que participou do ato no centro do Recife mostra que os trabalhadores não abrem mão da Previdência pública e de se aposentarem. “O que o governo quer é acabar a seguridade social. É um ataque muito brutal e o caminho é se mobilizar e resistir. É necessário que esse ato seja o pontapé para outras mobilizações”, destacou o sindicalista.

“Essa reforma quer distribuir com os trabalhadores, mas mantém os privilégios de quem detém o poder econômico e dos militares. Só atinge os menos favorecidos, acabando com a Previdência solidária, com o sonho da aposentadoria da classe trabalhadora”, completou o secretário geral do Sindsep, José Felipe Pereira.

Sindsep-PE

Servidor do MS, Funasa e CNEN que não receber adicionais ocupacionais devem procurar Sindsep

Desrespeitando uma liminar da Justiça, o Ministério da Saúde (MS) , a Funasa e o CNEN não pagaram aos servidores desses órgãos, no salário de fevereiro, os valores referentes aos adicionais ocupacionais. No caso da Funasa e Ministério da Saúde, o adicional diz respeito à insalubridade e periculosidade. No CNEN, a gratificação é referente ao adicional de radiação de ionizante. Desde janeiro que o juiz Francisco de Barros concedeu uma liminar favorável aos trabalhadores, considerando que a administração pública não fez uma avaliação criteriosa sobre os servidores que tinham direito à gratificação e os que não tinham, anulando o benefício de todos.

O Sindsep-PE orienta os servidores desses órgãos que têm direito ao adicional a tirarem uma prévia dos seus contracheques de março para verificar se o benefício consta na folha. Caso o crédito não esteja previsto, esses servidores devem procurar o Departamento Jurídico do sindicato, com uma cópia de um contracheque antigo com o benefício e o atual sem o benefício, para que sejam tomadas as medidas cabíveis.

SINDICATO DOS SERVIDORES PÚBLICOS FEDERAIS NO ESTADO DE PERNAMBUCO – SINDSEP-PE