Ceclin
out 31, 2014 0 Comentário


Servidores da Prefeitura de Palmares estão há dois meses sem receber salário

do Portal PE10

Dois meses sem salários! Esse é o tempo que muitos servidores públicos do município de Palmares, na Mata Sul, estão sem receber da Prefeitura. Inconformados com a situação, cerca de 50 servidores estiveram nesta sexta-feira (31), na sede do Sindicato dos Servidores no Centro de Palmares, para participar de uma entrevista para a emissora Rede Globo que será exibida na noite de hoje.

As contas da Prefeitura de Palmares já foram bloqueadas pela Justiça pela segunda vez em menos de um mês. A medida tem como base para que as contas sejam destinadas ao pagamento dos aposentados e o Prefeito João Bezerra (PSB) se comprometeu em pagar os salários atrasados, porém segundo o sindicato, não tem previsão para pagamento.

De acordo com o presidente do Sindicato dos Servidores do município – Sinsempal, José Lúcio Passos, tanto os aposentados quanto os servidores estão há dois meses sem receber. “Ele não cumpriu o que ficou acordado. Há meses que ele não paga em dia. Muitos servidores aposentados têm passado dificuldades e alguns deles não vieram aqui temendo represálias”, relatou.

Aos 78 anos, a aposentada Maria Luíza da Silva diz que precisa pedir comida aos amigos da rua onde mora. “É muito humilhante! Dediquei anos da minha vida e hoje passo fome. Nem gás para cozinhar eu tenho. Estou sem receber dinheiro há dois meses e tenho que mendigar”, lamentou.

Representantes da categoria estiveram reunidos e tentam através da Justiça uma auditoria nas contas do município. “Nós queremos ver os dados dos processos para cobrar essa auditoria, pelos extratos bancários que temos vimos que o prefeito não está honrando com suas obrigações”, frisa o presidente do Sindicato, José Lúcio Passos.

No último dia 21 de junho os servidores fizeram um protesto pelas ruas da cidade para cobrar o pagamento dos salários atrasados. Eles reivindicam ainda a questão de um empréstimo consignado que está sendo descontado dos servidores, mas não está sendo repassado para os Bancos, além de denunciarem as péssimas condições de trabalho.