Ceclin
fev 29, 2012 27 Comentários


Servidores aceitam Piso de R$ 663,00 proposto pelo prefeito Elias Lira

por Rafael Peixoto

Na manhã dessa terça-feira (28) aconteceu a Assembleia do Sindicato dos Servidores Públicos Municipais da Prefeitura da Vitória de Santo Antão (SINDVISA), para debater a proposta da Prefeitura que acabou enviando para a apreciação da Câmara de Vereadores, o projeto de Lei que define o Piso Salarial da categoria (para servidores que recebem apenas um salário mínimo), bem como o Plano de Cargos e Carreira (PCC) e o Estatuto do Servidor. Inicialmente o Prefeito Elias Lira (PSD) enviou à Câmara o projeto de definição do Piso sem o conhecimento do sindicato que havia participado de várias rodadas de negociação com a Secretaria de Administração.

Depois de longas negociações com a Prefeitura de Vitória, os servidores reunidos nesta assembleia decidiram aceitar a proposta do governo em delimitar o valor do Piso Salarial destes servidores  em R$ 663,00 (inicialmente o governo sinalizava em R$ 650,00), além de aceitar o esboço final da criação do Plano de Cargos e Carreira, o qual garante aos servidores a possibilidade de ascensão dentro do quadro funcional da Prefeitura, somado também a criação do Estatuto do Servidor, este último havia sido excluído da legislação local quando foi aprovado equivocadamente pelos vereadores na década passada o projeto de implantação do VitóriaPrev.

Segundo o Advogado do Sindicato, Aristides Félix Júnior, as negociações foram bastante difíceis, não se conseguiu o desejado em relação ao Piso Salarial, contudo foi um grande avanço devido a categoria ter alcançado finalmente a criação do PCC e do Estatuto. “A importância de se dar um passo a frente ao invés de correr o risco de ficar sem o desejado Piso pesou”, frisou ele.

A grande discussão girou em torno de apenas algumas categorias terem sido contempladas pelo aumento e outras não, já que esse aumento só contemplou os servidores que ganham um salário mínimo. Contudo, foi ressaltado por todos os diretores do sindicato que se juntem para conseguir mais um êxito em negociações futuras, previstas a partir de março com os servidores do setor da saúde.

Durante a realização da assembleia dos servidores não faltaram duras críticas ao Prefeito Elias Lira, devido as suas ausências nas mesas de negociações. Registraram que do total de oito e em nenhumas delas o Prefeito participou. “Isso demonstra o medo de falar com o povo”, apontou Aristides Júnior. Não foram poucas as críticas direcionadas à Prefeitura, porém ressaltaram a força que a categoria teve durante o período de negociação na busca de melhores condições de trabalho.