Ceclin
Maio 03, 2010 1 Comentário


Servidora Pública de Vitória descoberta pela Operação Consignado

ASSISTA AO VÍDEO…
Os resultados da Operação Consignado foram apresentadas na manhã de sexta (30) pelo secretário de Defesa Social, Wilson Damázio, e pelos delegados envolvidos nas investigações que levaram à prisão de 11 pessoas. A operação das Polícias Civil e Militar de Pernambuco conseguiu realizar a prisão de dois grupos criminosos que atuavam no Estado, em Alagoas e na Paraíba.

A ação, deflagrada na madrugada de ontem, contou com 147 policiais civis e militares que realizaram diligências nas cidades do Recife, Jaboatão dos Guararapes, Paulista e de Olinda, Moreno, Paudalho e Vitória de Santo Antão, municípios onde os suspeitos agiam.

Os integrantes das quadrilhas foram autuados por crimes de estelionato, formação de quadrilha, falsificação de documento público, clonagem de cartões de crédito e lavagem de dinheiro. De acordo com o delegado titular do Departamento de Repressão aos Crimes Patrimoniais (Depatri), Antônio Barros, o grupo falsificava documentos para obter empréstimos em instituições financeiras. “Os acusados são suspeitos de cometer diversos tipos de fraude, como falsificação de comprovantes de residência e de renda, além de diplomas de faculdade e carteiras da OAB (Ordem dos Advogados do Brasil)”, informou.

Vários objetos foram apreendidos com o grupo criminoso. “Conseguimos apreender computadores, cheques, cartões de crédito, cédulas de identidade falsificadas, máquinas plastificadoras, entre outros materiais”, disse o delegado adjunto da Delegacia de Prevenção e Repressão ao Estelionato, Jullyard Baquil.
O delegado ainda alertou a população e deu dicas de como não ser vítima de quadrilhas como essas. “Para dificultar ações como as desses grupos, as pessoas não devem fornecer números de documentos ou de cartões por

telefone e via Internet quando não conhecer as instituições que solicitam”, aconselhou.

Segundo o diretor geral de operações da Polícia Civil, Osvaldo Morais, as investigações iniciaram no final de 2008, depois de uma denúncia feita à Delegacia de Estelionato. “Os grupos agiam em conjunto e a mecânica da quadrilha partia da falsificação de documentos para conseguir empréstimos consignados”, afirmou. O nome da Operação Consignado foi inspirado na principal ação criminosa das quadrilhas investigadas.

Durante a Operação Consignado, as Polícias Civil e Militar conseguiram prender 11 pessoas. Outros dois integrantes dos grupos já estavam detidos, e seis membros ainda estão sendo procurados.

Os presos e sua atuação, de acordo com a polícia:

Hélio Cabral da Silva – Chefiava a quadrilha que tinha ramificações na Paraíba e em Alagoas. O suspeito é proprietário de um restaurante no centro do Recife.

Bismarck José da Silva – Braço direito de Hélio.

Sandra Maria Vieira da Silva – Membro das duas quadrilhas, ela é funcionária
pública do município de Vitória de Santo Antão.

Názaro Queiroz dos Santos – É membro das duas quadrilhas. Pratica saques
fraudulentos. É companheiro de Sandra.

Edmilson Pereira Cunha – Procurava pessoas para a realização de empréstimos.

Renata Cristina Sette – Falsificava documentos.

Flávio Ricardo Gomes – Tem vínculos com as duas quadrilhas.

Maria de Fátima Vieira da Silva – Atua como “laranja”.

Marcone Batista da Silva – Atua como “laranja”.

José Agnaldo Pereira de Lucena – Também é “laranja”.

Alexandre Queiroz – Foi preso em flagrante. É suspeito de vender diplomas
universitários e carteiras da OAB falsificados. Ainda é acusado de tráfico de drogas.

Eraldo Sebastião Souza – Corretor de seguros. É membro da quadrilha de Paulo
Fernando. Sua missão é conseguir informações das vítimas dos golpes.

Fabiana da Silva Sales – É corretora de empréstimos da quadrilha de Paulo
Fernando.

Procurados:

Paulo Fernando de Oliveira Mendes – É corretor de empréstimos e chefe da
segunda quadrilha.

Marcelo de Oliveira Neves – Atua como braço direito de Paulo Fernando.

Sueli Gomes da Silva – Dá suporte aos “laranjas”. É membro da quadrilha de
Hélio Cabral.

Maria do Carmo do Nascimento – Atua como “laranja”.

Arnóbio Jorge Araújo – Também usa o nome Zenóbio Jorge Araújo. Realiza
empréstimos fraudulentos.

José Carlos Veloso da Silveira – Faz empréstimos fraudulentos e é suspeito de
falsificar diplomas de cursos superiores.

Da Redação do DIARIODEPERNAMBUCO.COM.BR