Ceclin
mar 22, 2017 0 Comentário


Serviço de água e esgoto da Compesa passará por estudo

dc2a2e8f7baf05fd552c22c949037d13

Consórcio Fator/Concremat/VG&P vai analisar como empresas privadas podem ser parceiras da Compesa em todo o Estado. 

O Consórcio Fator/Concremat/VG&P foi o vencedor do pregão eletrônico que o Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) realizou, nessa terça-feira (21), para contratar estudos que indicarão como pode ocorrer a participação de empresas privadas nos serviços de fornecimento de água e esgotamento sanitário em Pernambuco, que hoje é prestado pela Companhia Pernambucana de Saneamento (Compesa).O estudo de viabilidade econômica terá um custo de R$ 7,8 milhões e, numa primeira etapa, será bancado pelo BNDES.

O processo da Compesa foi disputado por 16 grupos. Nessa concorrência, o BNDES estabeleceu um custo estimado em R$ 26,3 milhões para a realização do estudo. A contratação, entretanto, representou uma redução de 70,11% do valor, tendo em vista que o consórcio foi escolhido por apresentar o menor preço.

O grupo que venceu a concorrência é formado pelo Banco Fator, Concremat Engenharia e Tecnologia S.A., Vernalha Guimarães e Pereira Advogados. Agora, será analisada toda a documentação apresentada na concorrência e, caso esteja tudo dentro do previsto, o grupo será homologado como vencedor para realizar o estudo da Compesa.

A Concremat já é velha conhecida da Compesa em contratos de outrora. No Estado, atualmente, a empresa integra o Consórcio Gerenciador da Adutora do Agreste, que depois da Transposição do Rio São Francisco é o empreendimento hídrico mais importante para os pernambucanos porque vai levar água ao Agreste que está passando por uma das piores estiagens da sua história.

Por meio da assessoria de imprensa, o presidente da Compesa, Roberto Tavares, disse ser muito importante ter uma empresa de consultoria como a Concremat, que tem larga experiência em projetos de saneamento, assim como o banco Fator, que é especializado em estruturação de projetos de investimentos. “Esse consórcio, caso seja homologado, irá nos apoiar nos estudos e modelagens de modelos de parceria com o setor privado para acelerar os investimentos em saneamento do Estado de Pernambuco”, afirmou.

Segundo projeções do BNDES, a previsão é de que no próximo mês de abril ocorra a publicação dos editais de licitação para contratação dos serviços. Após isso, o consórcio-consultor que arrematou o serviço terá prazo de seis a oito meses para entregar o resultado dos estudos que definirá a viabilidade econômica do serviço de fornecimento de água e esgoto, hoje prestado pela Compesa, ser realizado em parceria com empresa privada.

Jornal do Commercio