• Ceclin
abr 06, 2009 5 Comentários


Senado debate corte no FPM

PRESIDENTE da FNP sugere a renegociação das dívidas dos municípios

JAIRO LIMA

Atuando como presidente da Frente Nacional de Prefeitos, João Paulo (PT), participará de uma audiência pública para discutir a diminuição dos recursos do Fundo de Participação de Municípios (FPM) e seus efeitos, amanhã, às 11h, em Brasília. O convite partiu da Comissão de Assuntos Econômicos do Senado, o que deu ainda mais um molho ao encontro para o petista, cogitado para disputar uma vaga de senador, no pleito do próximo ano. A audiência pública também servirá para debater soluções alternativas a uma efetiva recomposição das receitas dos municípios, além da medida provisória 457/2009, que trata sobre o parcelamento de débitos de responsabilidade dos municípios, decorrentes de contribuições sociais.
Ainda hoje, João Paulo terá uma reunião com outros prefeitos componentes da Frente, mas já tem uma proposta dentro das perspectivas da MP. “Vamos levar a nossa proposta de renegociar as dívidas dos municípios. Tentaremos chegar a um ponto de equilíbrio entre as partes. Temos que observar com muita atenção os reflexos da queda do repasse do FPM. Muitos municípios dependem desse recurso para se sustentarem”, avisou.
Depois da reunião, o ex-prefeito do Recife pretende encaminhar mais uma proposta à Comissão. “Estamos revendo também como vamos trabalhar a questão de formalizarmos os novos contratos e da questão dos precatórios. Discutiremos de forma mais ampla as questões pertinentes à administração pública municipal”, revelou. Na reunião, ainda deverão comparecer membros da equipe do Ministério da Fazenda e assessores diretos da Presidência da República.
MENSAGEM

No último sábado, João Paulo esteve reunido com a cúpula da corrente petista Mensagem ao Partido/PE. No encontro, foram discutidos assuntos para serem levados à reunião nacional da facção. “Temos tempo para realizar o encontro da Mensagem no Rio de Janeiro. Em junho, vamos realizar uma grande plenária no nosso Estado”, lembrou João Paulo, que não deu pistas sobre conversas em torno do Processo de Eleição Direta (PED), que acontece no final do ano.
(Folha de Pernambuco).

Leia também

Pressão nordestina contra cortes

Aécio é anfitrião, mas Dilma vai à reunião