Ceclin
dez 01, 2010 4 Comentários


Saúde Plena é motivo de preocupação em Vitória de Santo Antão

Desde 1° de dezembro, Vitória de Santo Antão e mais 40 municípios pernambucanos assumem toda a prestação de serviços inerentes ao Sistema Único de Saúde (SUS). Esta determinação é baseada em uma Resolução baixada pelo Ministério da Saúde, endossada nesta semana em Diário Oficial do Governo do Estado de Pernambuco.

Implica dizer que todo procedimento ambulatorial e demais responsabilidades na prestação dos serviços públicos em Saúde serão coordenadas e dirigidas pelas Prefeituras de cada Município escolhido. As verbas destinadas ao setor, vindas do Governo Federal, serão diretamente entregues às Prefeituras. O Estado não terá mais nenhuma ingerência sobre vários procedimentos em Saúde, é o início do processo de “Municipalização da Saúde” sendo colocado em prática.

Preocupados com a situação, hospitais privados que prestam serviços ao SUS em Vitória, encontram-se apreensivos pelo fato da Secretaria de Saúde do Município ainda não ter comunicado oficialmente desta Resolução e não ter procurado as unidades hospitalares para discutir a execução desta municipalização.

Desde terça-feira, o Hospital João Murilo de Oliveira, unidade hospitalar do Estado, em Vitória, já não mais atendia pacientes com pequena complexidade. Atendimento só para os casos de urgência. Os funcionários do hospital estão orientados a informar aos usuários que devem se dirigir a outros hospitais da cidade. Isto tem gerado uma revolta entre os usuários, muitos sem atendimento, ou tiveram que pagar consulta particular que gira em torno de R$ 30,00 nos hospitais da cidade.

Em contato com o Programa A VOZ DA VITÓRIA dezenas de usuários relatam o descaso no atendimento e denunciam o sucateamento de vários Postos de Saúde tanto urbanos quanto os da área Rural, bem como o não funcionamento de diversos Programas de Saúde da Família (PSF’s) nas comunidades. Motivo que tem inchado o atendimento no Hospital do Estado.

O Estado jogou a responsabilidade para os Municípios. O Governo Federal envia o dinheiro direto aos cofres da Prefeitura. Enquanto isso, o governo local ainda não apresentou um Plano emergencial para atender aos usuários do SUS. As providências precisam ser tomadas de imediato, senão veremos nos próximos dias o caos na rede pública de Saúde com cenas de pessoas desesperadas nas portas dos hospitais vitorienses.
Aguardemos os resultados.


por Lissandro Nascimento.