Ceclin
fev 28, 2022 0 Comentário


O SASSEPE em mais uma crise

O Sintepe não para de ser acionado pela categoria, do cais ao sertão, para que seu direito à assistência à saúde seja respeitado. São denúncias de falta de consultas, exames, cirurgias, tratamentos por sessão como fisioterapia, etc.

A rede própria composta das 13 agências do interior, os dois ambulatórios em Recife (Saúde Bucal e Saúde Mental), mais o Hospital dos Servidores, o âncora do sistema, encontra-se desabastecida, praticamente sucateada. No Hospital, falta de medicamentos básicos na Emergência, à insumos para cirurgias, até papel para a movimentação administrativa e receituário das consultas ambulatoriais.

A Rede Credenciada composta de quase 300 prestadores de serviços, vem suspendendo os atendimentos aos beneficiários/as, do SASSEPE, interrompendo tratamentos em curso, deixando de realizar procedimentos essenciais para o restabelecimento da saúde dos que sofrem de graves patologias, alegando falta de pagamento.

A origem de todo esse caos é o caixa do SASSEPE, provido pelos servidores, acrescido de uma contribuição, simbólica, do Governo do Estado.

A contribuição dos beneficiários/as é o grande sustentáculo financeiro do SASSEPE, por isso o caixa se encontra altamente defasado, com um débito estocado que precisa ser resolvido, para ontem.

O Sintepe, junto com os demais sindicatos que compõem o Fórum dos Servidores, coordenado pela CUT e a ASSEPE, cobram do Governo reunião específica, urgente, com as Secretarias da Administração e da Fazenda, para que o SASSEPE saia da triste situação em que se encontra.

Os beneficiários/as estão em dia, sempre, pois a contribuição é descontada em folha de pagamento, mesmo assim, assumem o ônus de não terem acesso a assistência, na medida da sua necessidade para garantir a recuperação da sua saúde.

O Sintepe, com os demais sindicatos de servidores e a ASSEPE, exigem saída concreta, da parte do governo, para a maior crise do SASSEPE dos últimos anos.

Saúde é vida!

SINDICATO DOS TRABALHADORES E DAS TRABALHADORAS EM EDUCAÇÃO DE PERNAMBUCO