Ceclin
out 23, 2008 1 Comentário


Sadia emprega 45 funcionários

Fernando Meller: faz observações dos investimentos em Vitória.
A Sadia acaba de efetivar os primeiros 45 funcionários que vão trabalhar na planta da Vitória de Santo Antão, a 51 quilômetros do Recife. Eles foram pinçados do grupo de 800 pessoas encaminhadas em julho à escola de capacitação profissional montada no município e agora passarão duas semanas em treinamento interno na fábrica. Depois, serão capacitados nas unidades do grupo em Duque de Caxias (RJ) e Uberlândia (MG).

Vão voltar com conhecimento suficiente para serem multiplicadores e assim treinar outros 600 funcionários que devem ser contratados no início de 2009.

De acordo com o gerente de projeto da Sadia, Fernando Meller, o treinamento interno servirá para integrar os funcionários em suas funções, passar noções de segurança e padrões operacionais mais básicos. “Já em Uberlândia e Duque de Caxias selecionamos as funções mais críticas que eles terão que desempenhar aqui quando a fábrica estiver funcionando”, explica Meller. As unidades do Rio e de Minas foram escolhidas por terem o mesmo perfil e os mesmos equipamentos que serão utilizados na planta pernambucana.

O início da operação da fábrica da Sadia em Vitória de Santo Antão está previsto para o primeiro trimestre de 2009, com investimento estimado em R$ 250 milhões. Fernando Meller garante que o cronograma está rigorosamente em dia e não foi afetado pela crise financeira internacional. A unidade terá capacidade de produzir 149 mil toneladas/ano de salsichas, lingüiças, apresesuntados, lanches e outros embutidos. O projeto envolve, ainda, uma central de distribuição para atender aos mercados do Norte/Nordeste, mas a empresa ainda não definiu quando será inaugurada.”Não temos pressa. Acabamos de investir R$ 8 milhões na reforma da nossa central de distribuição que já funciona no Recife, no bairro de Boa Viagem”, acrescenta Meller.

Quando estiver em pleno funcionamento, a fábrica de Vitória de Santo Antão deverá faturar R$ 390 milhões por ano, gerando 1,5 mil empregos diretos até o final de 2009 e até 4 mil indiretos. “As vagas serão preenchidas gradativamente”, esclarece o gerente de projeto. Para os funcionários, a empresa garante remuneração compatível com o mercado e benefícios como participação nos resultados, plano de saúde e odontológico.

A Sadia iniciou o processo seletivo da unidade pernambucana em maio deste ano. Foram recebidos mais de 20 mil currículos. Os candidatos passaram por uma seleção rigorosa e 800 foram encaminhados à escola de capacitação profissional batizada de Saber Sadia, responsável pela capacitação da mão-de-obra da região. Desses, 150 já concluíram o curso e 650 seguem estudando disciplinas como português, matemática, informática, cidadania e segurança alimentar.

As aulas são ministradas na Faintvisa por professores do Senai-PE, com carga horária de 80 horas-aula. (M.B.) Com informações do Diário de Pernambuco.
“As vagas (da empresa) serão preenchidas gradativamente”.

Fernando Meller
– gerente da Sadia