Ceclin
mar 24, 2009 3 Comentários


Sadia: ecologia e progresso caminham juntos.

Maquete eletrônica

Passada a euforia da festa de inauguração da fábrica da Sadia, agora vamos botar os pés no chão e ver o que temos em nosso Município.
A unidade da Vitória de Santo Antão foi projetada para gerar cerca de 5,5 mil empregos diretos e indiretamente, para tanto foi empregado cerca de R$ 300 milhões de reais.

Quando estiver em sua capacidade plena à fábrica irá produzir 147 mil toneladas de embutidos como mortadela, apresuntado, salsichas, lingüiça cozida e lanche. Para dar suporte a essa produção além do Centro de Distribuição que a empresa tem no Recife com 300 funcionários será criado mais um de 16,5 mil metros quadrados abrindo assim mais oportunidades de emprego para o nosso Estado e gerando uma receita anual de R$ 390 milhões de reais.
A empresa já tinha como projeto instalar uma unidade fabril no Nordeste e após estudos que mostraram um grande aumento de consumo de seus produtos na região decidiram que seria a hora ideal para concretizar o seu objetivo.

Com um audacioso projeto tecnológico relacionado à sustentabilidade e respeito ao meio ambiente a empresa inovou com sistema de captação e tratamento de água das chuvas construindo três lagoas com capacidade de armazenar 300 mil metros cúbicos, água suficiente para o consumo de um ano e no reaproveitamento final depois da produção para irrigação, lavagem de veículos e fins não produtivos da empresa.

Um grande projeto de aflorestamento envolvendo as comunidades e escolas da região estão sendo promovidas, com a participação de entidades públicas para treinar e conscientizar alunos de escolas primárias sobre proteção ambiental, utilizar mão de obra da entressafra de trabalhadores rural para a escolha de sementes e plantio de mudas da mata nativa contribuindo assim para a neutralização de 100% da emissão de carbono gerada pela produção e transportes de funcionários da unidade.

Ainda no projeto ecológico a unidade detém um sistema de iluminação externa que captam energia solar através de placas que transformam em energia elétrica para ser utilizada nas lâmpadas durante toda a noite, economizando assim, a energia produzida por hidroelétricas.
Para qualificar trabalhadores para este importante projeto a unidade firmou convênio com a Prefeitura do Município, SENAI e outras entidades de ensino criando na região a Escola Saber Sadia, elevando assim o nível profissional da população para que fiquem aptos a trabalhar em suas empresas ou qualquer outra da região. Mais de 1000 pessoas já passaram por esta escola.

Sobre a Sadia

Fundada em 1944 por Attilio Fontana, no oeste catarinense, ao longo dos anos a Sadia firmou sua excelência no segmento agroindustrial e na produção de alimentos derivados de carnes suína, bovina, de frango e de peru, além de massas, margarinas e sobremesas.

Líder nacional em diversas atividades em que opera (margarinas, resfriados, congelados, aves e suínos), a Sadia mantém no mercado brasileiro um portifólio de cerca de 680 itens, que são distribuídos para mais de 300 mil pontos-de-venda. Para o mercado externo exporta perto de mil produtos para 117 países. As primeiras exportações da companhia foram realizadas nos anos 60.

A empresa mantém um parque fabril com 17 unidades industriais e centros de distribuição espalhados por sete Estados brasileiros. No exterior, possui ainda representações comerciais em 11 países, a exemplo do Panamá, Chile, Uruguai, Argentina, Alemanha, Inglaterra, Rússia, Turquia, Emirados Árabes, China e Japão. A Sadia emprega hoje cerca de 60 mil funcionários e, por meio de seu Sistema de Fomento Agropecuário, mantém parceria com cerca de 10.000 granjas integradas criadoras de aves e de suínos.

Por Orlando Leite,
Fotos e informações: Assessoria de Imprensa da Sadia