Ceclin
mar 18, 2009 0 Comentário


Sadia e Perdigão podem se unir

Publicado em 18.03.2009

A soma das duas empresas poderia resultar no surgimento de uma companhia com o 3º maior faturamento na atividade de abate de aves das Américas
SÃO PAULO – A união entre Sadia e Perdigão, se confirmada, pode dar origem à maior processadora de carne de frango do mundo em faturamento. Considerando os resultados das duas empresas acumulados em 12 meses até setembro de 2008, a receita líquida das companhias, juntas, somaria aproximadamente US$ 10,7 bilhões, ficando acima do faturamento da líder mundial no segmento de aves Pilgrim’s Pride, que obteve receita líquida de US$ 8,52 bilhões no mesmo intervalo, segundo levantamento da Economática feito a pedido da “Agência Estado”.
O porte que a nova companhia teria logo após a fusão levaria a “empresa combinada” à condição de terceiro maior faturamento na atividade de abate nas Américas, atrás somente da Tyson Foods, que faturou US$ 26,86 bilhões no mesmo intervalo, e da JBS Friboi, cuja receita somou US$ 14,29 bilhões no período.
Na segunda-feira à noite, Sadia e Perdigão anunciaram ter iniciado negociações para analisar a viabilidade e convergência de interesses em algum tipo de associação, mas informaram que nada foi fechado. A Perdigão acrescentou ainda que as empresas não chegaram a um acordo e que, neste momento, não há nenhuma negociação em curso. Procuradas novamente pela “Agência Estado”, as duas empresas afirmaram, por meio das assessorias de imprensa, que não fariam novos comentários sobre as negociações.
Apesar da ressalva contida no comunicado encaminhado pela Perdigão à Comissão de Valores Mobiliários (CVM), o mercado financeiro trabalha com a possibilidade de avanço nas negociações, resultando na alta das ações na Bovespa por mais um dia ontem. No setor de alimentos como um todo, a união de forças entre Sadia e Perdigão possibilitaria que a nova companhia ocupasse a nona posição entre as maiores das Américas.
O primeiro lugar no ranking elaborado pela Economática é ocupado pela gigante norte-americana ADM, que teve receita de US$ 78,15 bilhões em 12 meses encerrados em setembro último. Na segunda posição aparece a Kraft Foods, com faturamento de US$ 14,83 bilhões, seguida por Tyson e JBS. A quinta posição é ocupada pelo moinho General Mills, seguido por Sara Lee, Kellogg e Dean Foods – todas empresas dos Estados Unidos.
Sadia e Perdigão já têm porte global. As exportações das duas companhias representam entre 40% e 50% de seu faturamento e ambas contam com representações comerciais em dezenas de países.
A Sadia, inclusive, inaugurou no ano passado uma fábrica em Kaliningrado, na Rússia, e já consolidou sua marca junto ao consumidor final em diversas nações, como Arábia Saudita e Leste Europeu.
Em Pernambuco, tanto a Sadia quanto a Perdigão estão instalando unidades, sendo a primeira em Vitória de Santo Antão, e a segunda em Bom Conselho.
Diante da experiência das empresas no mercado internacional e da alta competitividade do frango brasileiro, a companhia que surgiria a partir da união entre Sadia e Perdigão teria todas as condições para consolidar a sua presença como líder de mercado mundial.
(Jornal do Commercio).


MATÉRIAS VINCULADAS