Ceclin
maio 15, 2009 0 Comentário


Sadia anuncia prejuízo, às vésperas de fusão

Publicado em 15.05.2009

SÃO PAULO – Às vésperas de anunciar a fusão com a concorrente Perdigão, a Sadia informou ontem que registrou prejuízo líquido de R$ 239,169 milhões no primeiro trimestre deste ano, ante lucro de R$ 248,266 milhões no mesmo período do ano passado. No quarto trimestre de 2008, a empresa tinha anotado perda de R$ 2 bilhões com o impacto de operações cambiais.
A receita operacional bruta consolidada nos três primeiros meses deste ano, porém, ficou positiva, alcançando R$ 2,9 bilhões, 10,6% superior ao mesmo período do ano anterior. Este aumento se deve ao desempenho no mercado interno, que registrou elevação de vendas em volume e preço, segundo informou a Sadia.
A receita do segmento de industrializados atingiu R$ 1,5 bilhão, 17,6% superior à de igual período de 2008. A maior concentração das vendas da companhia no mercado interno superou a média histórica e atingiu 59,5% do total da receita e o equivalente a 53,1% do volume total, com crescimentos em todos os segmentos em que a Sadia atua, informou a empresa.
O volume total de vendas caiu 0,5% no primeiro trimestre e totalizou 530 mil toneladas. “Enquanto no mercado interno elevaram-se 10,3%, no mercado externo decresceram 10,5% devido, principalmente, à crise econômica mundial e à restrição de crédito nos mercados da Ásia e da Eurásia”, explica a Sadia. A receita bruta neste mercado totalizou R$ 1,2 bilhão, uma queda de 3,3% em relação ao primeiro trimestre de 2008. Os preços médios em reais aumentaram 3% na mesma comparação.
“Afetados pelo enxugamento do crédito, importadores promoveram grandes reduções de seus estoques, que acabaram afetando as exportações brasileiras do nosso setor. O redirecionamento dos produtos para o mercado interno compensou em parte a redução das receitas externas. (…) O resultado da Sadia no primeiro trimestre sofreu o impacto do conjunto atípico de ajustes realizados na cadeia de valor por causa da crise econômica global”, diz comunicado assinado pelo diretor-presidente da empresa, Gilberto Tomazoni.
O Ebitda (lucro antes de impostos, juros, participações nos resultados, depreciações e amortizações) somou R$ 62,5 milhões, uma queda de 75,7% em relação ao primeiro trimestre de 2008. A margem Ebitda alcançou 2,5%, redução de 8,8 pontos percentuais quando comparada aos três primeiros meses do ano passado.
O lucro bruto somou R$ 386,2 milhões ao final do primeiro trimestre deste ano, queda de 28,2% em relação ao mesmo período do ano anterior. Tal desempenho decorre, principalmente, do aumento de 19,3% nos custos dos produtos vendidos em razão de variações nos preços de grãos (milho e soja), informou.
(Jornal do Commercio).