• Ceclin
jan 15, 2009 1 Comentário


Rede Globo teria ajudado Protógenes

O site Comunique-se publicou matéria, anteontem, afirmando que o delegado Protógenes Queiroz teria utilizado-se de seus contatos na Rede Globo para filmar o flagrante do encontro de Humberto Braz e Hugo Chicaroni, no restaurante El Tranvia, em São Paulo, em 18 de junho, no qual Braz, ex-diretor da Brasil Telecom, tenta subornar a Polícia Federal para que deixe de investigar o empresário Daniel Dantas.
Segundo o delegado Amaro Ferreira, que comanda a operação, os mais de 450 áudios em lugares onde Queiroz frequentava mostram que Robinson Braios Cerântula e Willian José dos Santos, da equipe da TV Globo, gravaram o momento da tentativa de suborno no restaurante El Tranvia.
Os áudios foram conseguidos com aprovação da Justiça, do juiz Ali Mazloum, da 7ª Vara Federal Criminal de São Paulo, em outubro. Por conta das informações privilegiadas é que a Globo também, segundo este relatório, conseguiu filmar a prisão “de pijamas” do ex-prefeito de São Paulo Celso Pitta.

A Rede Globo preferiu não comentar o caso. Por diversas vezes, a equipe do Comunique-se tentou falar com o repórter César Tralli, que narrou a operação no restaurante. Sem retorno.

FONTE

A repórter da Folha em Brasília Andréa Micael, segundo o relatório da PF, teria conseguido informações privilegiadas de que a polícia investigava Daniel Dantas e publicado com exclusividade em 26 de abril de 2008 com agentes da Abin Luiz Eduardo Melo e Thelio Braun D´Azevedo.
À época, a Agência Brasileira de Inteligência (Abin) foi colocada em prova por ter feito escutas clandestinas para esta investigação de, entre outros, o ministro do Supremo, Gilmar Mendes. Em férias, a repórter Andréa Micael disse apenas que, nos seus 20 anos de profissão, nunca revelou suas fontes. “Fonte é um negócio sagrado”, afirmou.
(Folha de Pernambuco).