• Ceclin
set 22, 2008 0 Comentário


Rapidinhas Esportivas

SPORT

Apesar do esforço e da aplicação tática, o Sport não conseguiu furar o bloqueio do São Paulo, que levou um ponto para o Morumbi. Cerca de 32 mil rubro-negros – o maior público que a Ilha do Retiro recebeu desde a final da Copa do Brasil -, assistiram um jogo movimentado, mas que não saiu do 0x0. Na defesa, o Leão demonstrou a mesma consistência das últimas rodadas, completando assim quatro partidas sem tomar gols. Mas o ataque, desfalcado de Roger, não foi eficiente. Jogadores e comissão técnica de ambas as equipes consideraram o empate um bom resultado. A satisfação com o ponto dentro de casa só pode ser colocada em xeque por conta das próximas rodadas do Brasileirão, pois o Rubro-negro viaja para enfrentar Flamengo e Cruzeiro, que brigam pelas primeiras posições na tabela. O Sport está em décimo.
A marcação forte foi a tônica dos primeiros 45 minutos, com as duas equipes disputando intensamente cada lance, o que rendeu várias faltas e muito bate-boca. O árbitro Djalma Beltrami amarelou dois jogadores rubro-negros antes dos cinco minutos de bola rolando, na tentativa de manter o controle da partida. Com os ânimos mais calmos, as equipes começaram a jogar futebol.
O primeiro chute em gol só aconteceu aos 20 minutos, com Dagoberto praticamente recuando para Magrão. O Sport respondeu no minuto seguinte com Enílton, que encontrou espaço, mas também bateu fraco na bola. Perigo real mesmo só quando a zaga leonina cochilou pela primeira vez, e Hugo acertou a trave do goleiro leonino. Nos acréscimos da etapa inicial, Wilson e Enílton assustaram Rogério Ceni em duas oportunidades.
O nível do futebol subiu bastante no segundo tempo. Nelsinho Batista resolveu tirar Kássio – que segundo o treinador não estava conseguindo levar vantagem no duelo contra Zé Luís -, e colocar Luciano Henrique, que demorou para engrenar, mas depois deu dinâmica às ações ofensivas do Leão. Carlinhos Bala, demonstrando cada vez mais desenvoltura como ala direito, chamou o jogo para a lateral do campo, algo que a equipe não conseguiu fazer durante todo o primeiro tempo. Com o Sport avançando as peças, o São Paulo acabou se limitando aos lançamentos de Rogério e aos lances de bola parada.
Reconhecendo a boa atuação do sistema defensivo do time paulista, Nelsinho colocou Ciro, para tentar, na base da velocidade, desestruturar a forte zaga tricolor. O garoto – cuja entrada já havia sido pedida pela torcida -, não conseguiu elevar o nível do ataque rubro-negro, esbarrando nos mesmos problemas que os colegas já haviam enfrentado. Ciro ainda teve a última grande chance do Leão, quando conseguiu cortar Miranda dentro da área, mas o chute de canhota saiu por cima. “As duas equipes deram uma aula de marcação, por isso a falta de gols”, sintetizou Nelsinho Batista, na entrevista coletiva após o confronto.
Sport
Magrão; Igor, César e Durval; Carlinhos Bala, Andrade (Sandro Goiano), Júnior Maranhão, Kássio (Luciano Henrique) e Dutra; Enílton (Ciro) e Wilson
Técnico: Nelsinho Batista
São Paulo
Rogério Ceni; André Dias, Rodrigo e Miranda; Joilson, Zé Luis, Hernanes, Hugo e Jorge Wagner ;Dagoberto (Richarlyson) e André Lima (Éder Luís)
Técnico: Muricy Ramalho

Local: Ilha do Retiro
Árbitro: Djalma José Beltrami/RJ (FIFA)
Assistentes: Milton Otaviano dos Santos/RN (FIFA) e Hilton Moutinho Rodrigues/RJ (FIFA)Cartões amarelos: César, Andrade, Júnior Maranhão, Miranda, Rodrigo e Dagoberto
Público: 32.627 Renda: R$ 307.080,00

NAUTICO

Faltou pouco para o Náutico dar continuidade à sua seqüência de cinco jogos sem perder no Campeonato Brasileiro. Sábado, na partida contra o Atlético/MG, válida pela 26ª rodada do Campeonato Brasileiro da Série A, no Mineirão, o Timbu chegou a sair na frente do placar, mas não conseguiu segurar o resultado e acabou perdendo, de virada, por 2×1. Mesmo com o resultado negativo, a equipe pernambucana permanece na 13ª colocação, com 29 pontos, quatro atrás do próprio Atlético/MG, 12°. O próximo desafio dos alvirrubros será contra o Palmeiras, no próximo domingo, nos Aflitos.

O Náutico começou a partida como o técnico Roberto Fernandes queria, marcando forte e pressionando a saída de bola do Galo. A equipe mineira sabia da necessidade do resultado positivo, e tentava partir para cima de todas as maneiras. Mas foi o Timbu que assustou primeiro. Logo aos sete minutos, Kuki recebeu lançamento, livre de marcação, e bateu em cima do goleiro Édson, desperdiçando boa chance de abrir o placar. O Atlético não deixou barato e respondeu logo depois com Marques chutando de fora da área para boa defesa de Eduardo.
Com a marcação ajustada, os alvirrubros se aproveitavam dos espaços deixados pelo adversário para tentar encontrar o primeiro gol. A defesa atleticana já demonstrava uma certa fragilidade, e o Timbu se aproveitou disso para abrir o placar. Aos 17 minutos, Kuki fez um lindo lançamento para Alessandro. O lateral alçou a bola na área para Clodoaldo, que levou a melhor na disputa com o goleiro Édson e a bola sobrou para Ruy empurrar para as redes. Com a vantagem em mãos, o Náutico seguia desperdiçando boas chances de ampliar, principalmente com Clodoaldo, que, livre na pequena área, finalizou por cima após bom passe de Alessandro. E o castigo veio no final da primeira etapa. O meia atleticano Renan Oliveira levou a bola pelo meio sem ser incomodado e bateu de longe para empatar o jogo.
O gol parece ter abalado os jogadores alvirrubros, que voltaram para a segunda etapa sem conseguir manter o bom futebol antes apresentado. Apoiado pela torcida, o Galo crescia no jogo. Aos 13 minutos, Marques fez boa jogada e cruzou para Márcio Araújo bater para fora. Oito minutos depois, não teve jeito. Petkovic cobrou falta na área, Castillo desviou, a bola bateu no travessão e sobrou para Vinícius, sozinho, virar o jogo. Com a desvantagem, o Timbu corria atrás do empate. E quase conseguiu aos 35, quando Felipe bateu cruzado e Derley desperdiçou a última boa chance do jogo.

Atlético/MG
Édson; Mariano, Marcos, Vinícius e César Prates; Rafael Miranda, Serginho, Márcio Araújo e Renan Oliveira (Castillo); Marques e Lenílson (Petkovic)
Técnico: Marcelo Oliveira

Náutico
Eduardo; Vágner, Adriano e Everaldo; Ruy, Ticão (Alceu), Derley, Alessandro e Valdeir (William); Kuki e Clodoaldo (Felipe)
Técnico: Roberto Fernandes

Local: Mineirão (em Belo Horizonte)
Árbitro: Paulo César Oliveira (SP/FIFA)
Assistentes: Marcelo Carvalho/SP e Anderson José de Moraes/SP
Gols: Ruy (aos 17 do 1ºT), Renan Oliveira (aos 42 do 1ºT) e Vinícius (aos 20 do 2ºT)Cartões amarelos: Ticão, Derley, Alceu (Náutico); Rafael Miranda (Atlético/MG)
Público e renda: Não divulgados.

SALGUEIRO

Mais uma vez, o Salgueiro, dessa vez jogando em casa, não conseguiu superar a ASA e ficou apenas no 0x0. O resultado deixou os sertanejos numa situação ainda mais complicada nesta Série C. Com apenas dois pontos, o time do Sertão do Estado ocupa a lanterna do Grupo 26 e precisa vencer os seus dois últimos confrontos. Primeiro, quarta-feira, diante do Campinense, às 20h30, em Campina Grande, e, depois, domingo, diante do Confiança, no Cornélio de Barros. Além de somar seis pontos, o Carcará precisará torcer para que os alagoanos, praticamente classificados para o octogonal, vençam seus dois confrontos restantes.

VITORIA

O VITORIA SE DESPEDIU DA 1ª FASE COM UMA BELÍSSIMA VITORIA DE 5X1 MANCHETE.

AGORA É AGUARDAR A PROXIMA FASE PARA SABER SEUS ADVERSÁRIOS. OS GOLS DA PARTIDA FORAM ASSINALDOS POR EDUARDO, TÉO, ALAN (2) E BRUNO.

por Berg Araújo,
nas segundas e quintas-feira.