Ceclin
jul 03, 2008 0 Comentário


Rapidinhas Esportivas

SPORT

Fim da espera. Sábado será o dia do tão aguardado reencontro entre o meia Fumagalli e o torcedor rubro-negro. Grande ídolo da torcida leonina, o jogador teve o seu nome publicado no Boletim Informativo Diário, o BID, da Confederação Brasileira de Futebol (CBF), na noite de ontem (02), e agora está devidamente regularizado. Sábado, o Sport enfrenta o Cruzeiro, na Ilha do Retiro, e Fumagalli deve ser o homem responsável por municiar o ataque ao lado de Luciano Henrique. Pelo menos foi o que o técnico Nelsinho Batista deu a entender no coletivo realizado no Centro de Treinamento do Intercontinental, ontem à tarde.
Ao tomar conhecimento da sua liberação, o meia se disse aliviado. “Estou muito feliz, a ansiedade agora só aumenta. Estava na expectativa de ganhar condições para esse jogo contra o Cruzeiro, mas a gente só acredita na hora em que está tudo certo. Só resta esperar pelo professor Nelsinho”, afirmou.
No amistoso diante do Central (empate em 1×1), na noite da última terça-feira, em Caruaru, além de ter começado como titular, Fumagalli agradou enquanto esteve em campo. Na avaliação do jogador, foi muito importante ter participado da partida. “Fiquei satisfeito com o meu desempenho. Aos poucos, a gente vai adquirindo o entrosamento e o ritmo de jogo. Mas é claro que só vou voltar a melhor forma com o decorrer dos jogos. Meu principal objetivo no momento é tirar o Sport da situação delicada em que se encontra”, disse. Dificilmente, porém, “Fumagol” vai agüentar atuar os 90 minutos, já que o seu último jogo oficial foi há mais de um mês, pelo Al Rayan, do Catar.
O fato de seu último clube ser do exterior foi justamente o motivo da polêmica desde o seu retorno ao Leão. Como a janela para transferências internacionais só abre em agosto, muitos acreditavam que ele teria de esperar até lá para reestrear. Mas como não houve rescisão de contrato (o vínculo de Fumagalli com o Al Rayan se encerrou no dia 31 de maio), Fuma conseguiu na Justiça o direito de atuar no território nacional. Faltava apenas o aval da CBF. Agora, resta o do técnico Nelsinho Batista (que não deve ser empecilho). Contra o Cruzeiro, a não ser que aconteça algo totalmente inesperado, Fumagalli, o Sport e a torcida rubro-negra estarão juntos novamente.
Interdição

Procurados pela reportagem da Folha de Pernambuco, tanto o presidente do Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD), Rubens Approbato, como o procurador geral da entidade, Paulo Schimidt, garantiram que até ontem não haviam recebido representação alguma do Flamengo contra o Sport, em virtude do incidente ocorrido após o jogo entre os dois times, no último domingo, na Ilha do Retiro. Na ocasião, policiais militares tentaram sem sucesso deter o atacante Marcinho dentro do vestiário. Na última terça, o advogado do Flamengo, Michel Asseff, garantiu que iria pedir a interdição da Ilha.

SANTA

Após três anos sendo bombardeado por vexames, o Arruda voltou a ecoar o grito de “é campeão!” entoado pela torcida tricolor, ontem (02), após o Santa Cruz golear o Atlético Pernambucano por 4×0, na decisão da Copa Pernambuco 2008. A última vez que o clube tinha comemorado um título foi em 2005, no Campeonato Pernambucano. Depois disso, o que se viu foi um festival de insucessos que pode ter comprometido a estrutura feita pelos 94 anos de conquistas históricas do clube.
Sabendo que essa saudade dos títulos movia os 8.015 fiéis torcedores presentes ao estádio ontem, os atletas tricolores não tomaram conhecimento do fraco Atlético Pernambucano, clube que tem como seu mandatário o ex-vice-presidente do Santa Cruz, Alberto Lisboa. Sem o meia Juninho, poupado para a estréia na Série C, domingo, contra o Campinense, em Campina Grande, o meia Miller cumpriu bem o papel de substituir um dos destaques do Tricolor na Copa Pernambuco. Tanto que, logo aos oito minutos do primeiro tempo, Esquerdinha fez boa jogada e cruzou. O goleiro Delone deu rebote, e o próprio Miller chutou para abrir o placar da decisão. Aos 19, o Atlético tentou mostrar que podia impedir a festa coral e quase marca, com um belo chute de Xaxá.
Porém, aos 40 minutos, Rafael Mineiro cruzou para o zagueiro Gonçalves mergulhar e ampliar a vantagem para 2×0. Animado com o gol, a Cobra Coral ainda conseguiu ir para o vestiário com mais um de folga, com Edmundo. Após passe de Garrinchinha, o “Animal do Arruda” chutou para fazer 3×0.
Com a taça de campeão praticamente nas mãos, o Tricolor voltou para a etapa final administrando a vantagem que tinha no placar. Com maior posse de bola e dominando o meio de campo, o Santa Cruz chegou ao quarto gol. Após cruzamento rasteiro, o prata-da-casa Éverton ajeitou para Gedeil chegar batendo. Ao apito final, a torcida do Mais Querido soltou o grito de campeão preso por três longos anos, e os jogadores comemoraram com tudo que tinham direito, inclusive com a tão aguardada volta olímpica.

CONTRATAÇÕES
Antes da partida de ontem, a diretoria coral anunciou a contratação de mais dois reforços para a disputa da Série C. Os meias Ribinha, que estava no Souza/PB, e Uéslei, que disputou o Estadual deste ano pelo Petrolina, inclusive marcando dois gols contra o Santa Cruz, devem se apresentar ao clube ainda esta semana. Já o zagueiro Sidraílson conversou com os dirigentes corais ontem e deve ter a sua situação resolvida hoje.

Santa Cruz
Glédson; Gonçalves, Memo (Éverton) e Leandro Biton; Rafael Mineiro, Alexandre Oliveira, Garrinchinha (Gedeíl), Miller e Esquerdinha; Thomas Anderson (Gilberto) e Edmundo
Técnico: Fito Neves

Atlético/PE
Delone; Lelé, Joécio, Eliel e Douglas; Washington, Xaxá, Fernando (Leandro) e Camargo (Marquinhos); Johnny (Diego Santos) e Ricardo
Técnico: Bernardo Felipe

Local: Arruda
Árbitro: Sebastião Rufino Filho
Assistentes: Élan Vieira e João Marcelo Albert
Gols: Miller (aos sete minutos do 1°T), Gonçalves (aos 41 minutos do 1°T), Edmundo (aos 42 minutos do 1°T) e Gedeíl (aos 36 minutos do 2°T)

Cartões amarelos: Delone, Ricardo e Douglas (Atlético)Cartão vermelho: Douglas (Atlético)Público: 8.015Renda: R$ 36.465

NAUTICO

Definitivamente, o clima nos Aflitos não é dos melhores. Após perder para o Palmeiras, jogando de forma retrancada, o time, principalmente o técnico Leandro Machado, recebeu diversas críticas. Ontem, os jornalistas que cobrem o dia-a-dia do clube puderam constatar que todos estão tensos. Isso porque, após o treino, realizado no Centro de Treinamento Wilson Campos, a maioria dos jogadores escolhidos para as entrevistas não quis falar.
Tudo começou quando o time considerado titular estava perdendo por 2×0 para os reservas, com gols de João Paulo e Eduardo Eré. Sem poder contar com quatro jogadores por causa de suspensão (Negretti, Everaldo, Ticão e Alceu), a equipe foi armada com Eduardo; Ruy, Luizão, Onildo e Itaqui; Paulo Almeida, Radamés, Helton e Geraldo; Felipe e Wellington. Após 20 minutos de bola rolando, Leandro Machado interrompeu tudo e juntou o elenco para uma longa conversa. Depois do puxão de orelha, os atletas deixaram o gramado com um semblante não muito feliz.
Como de costume, quatro jogadores foram selecionados para as entrevistas. Luizão e Onildo, que poderão fazer a dupla de zaga pela primeira vez, não quiseram falar. Até o goleiro Eduardo, sempre solícito e amigável com os jornalistas, preferiu ser poupado. Sem falar que o arqueiro completou 31 anos, mas não houve nem clima para ovos, farinha de trigo, e toda aquela lambuzeira que os atletas fazem quando alguém faz aniversário. O único a falar foi Felipe. Anteontem, quem adotou a lei do silêncio, mais uma vez, foi Paulo Almeida. Porém, ao ser questionado se realmente o clima estaria pesado dentro dos Aflitos, Machado esquivou-se. “Não sei. É difícil falar agora. Não vi nada de anormal. Foi uma conversa normal, sobre cobranças de treino”, disse.
Já Vagner, que tinha sofrido uma entorse no tornozelo direito, trabalhou com bola ontem. Após dar várias voltas em torno do campo, o zagueiro iniciou um trabalho de transição específico com o fisiologista Cleber Queiroga. “Estou bem melhor. Ainda sinto dor, mas é suportável. Acho que vai ser impossível jogar sem sentir nada. Mas sei que minha presença é importante, e farei de tudo para estar em campo”, garantiu. Ainda ontem, o zagueiro Adriano teve seu nome publicado no Boletim Informativo Diário (BID) da CBF, e já pode fazer sua estréia.

por Berg Araújo,
todas as quintas e segundas-feira.