Ceclin
out 11, 2012 4 Comentários


Rancho de São Paulo aceita cuidar do leão e do urso, desde que a Prefeitura de Vitória assuma as despesas de locomoção e manutenção

Um abrigo de animais localizado em São Paulo, conhecido por Santuário Rancho dos Gnomos, aceita receber os animais, porém é necessário uma considerável logística que envolva empresa aérea e equipe profissional 

Aconteceu na manhã da última segunda-feira (10), na Sede das Promotorias de Justiça da Vitória de Santo Antão, Zona da Mata do Estado, uma reunião com o objetivo de definir o destino dos animais do Zoológico Melo Verçosa, no Centro de Vitória, os quais encontram-se em situação precária de sobrevivência, onde está se estabelecendo o resgate e acolhimento do leão Ageu e o urso Bruno. Ambos são os mais prejudicados devido as condições insalubres do Zoológico local.

A Promotora Pública, Vera Rejane Mendonça, solicitou que os animais sejam enviados a um abrigo localizado em São Paulo, conhecido por Santuário Rancho dos Gnomos, podendo ficar acertado a permanência dos animais neste abrigo por pelo menos dois anos, para que seja incorporado os animais ao habitat natural. Desde que as condições sugeridas pelo Rancho sejam atendidas, a exemplo da manutenção mensal por parte da Prefeitura de Vitória no período estabelecido. O Rancho requer o valor de R$ 1 mil por animal, no entanto, os representantes da Prefeitura informaram que o custo só do leão giraria em torno de R$ 7 mil aos cofres do município. A lhama, o avestruz e o pavão serão doados à uma fazenda de Vitória de Santo Antão.

Para que isso ocorra se faz necessário que o Município se comprometa com algumas despesas, pois para fazer a remoção dos animais é necessário uma considerável logística, inclusive envolvendo empresa aérea e equipe profissional. O Ministério Público aguarda em um período de 10 dias um posicionamento da Prefeitura da Vitória de Santo Antão acerca deste caso, visando resolver rapidamente este problema que se tornou público para todo o País.

Presente na reunião, o Secretário de Meio Ambiente da Prefeitura da Vitória, Severino Roberto, lembrou que o IBAMA detém a princípio responsabilidade por ter fornecido tanto o leão quanto o urso no período entre 2000 a 2008 ao Zoológico da cidade, em uma área sucateada que não oferecia espaço e nem segurança para estes animais exóticos, agravado pelo fato de não dispor da devida licença ambiental.

“O Urso chegou no Zoo Melo Verçosa em 2005, enquanto o leão foi trazido de Caruaru, após uma apreensão executada pelo próprio IBAMA há 18 anos, quando o leão ainda detinha 02 anos”, relatou o Secretário nesta reunião. Ele destacou ainda que o Zoo detinha um espaço de 07 hac. e hoje possui apenas 01 hac., pois os 06 hac. que restaram foram doados pela administração anterior à UFPE e terceiros.

O Secretário informou ainda que nenhum animal foi removido, embora os órgãos e entidades (a exemplo do IBAMA e o Horto Dois Irmãos) já estejam aptos a receber a maioria dos animais.

A Promotoria designou outra reunião para tratar a respeito para o dia 24 de outubro, às 10h. na sede do órgão.