• Ceclin
out 25, 2019 0 Comentário


Rachaduras deixam desalojados moradores de dois prédios do Minha Casa Minha Vida de Vitória de Santo Antão

Os 11 blocos foram entregues no final do ano de 2016 na cidade. Fotos: Cortesia/Leitor

Os 11 blocos foram entregues no final do ano de 2016 na cidade. Fotos: Cortesia/Leitor

Por Lissandro Nascimento 

Moradores da terceira etapa do Condomínio Minha Casa Minha Vida, situados no Bairro da Militina (Jardins Vitória), perímetro urbano da Vitória de Santo Antão, na Zona da Mata pernambucana, foram forçados a sair às pressas de seus apartamentos quando durante a noite da última terça-feira (22/10), rachaduras tornaram-se plenamente visíveis.

Amedrontados com a possibilidade do risco de desabamento, a situação é preocupante em dois prédios da ala de cor Bege os quais compõem os 11 blocos construídos e entregues no final do ano de 2016 na cidade. Um dos blocos apresenta-se com graves rachaduras em toda base estrutural e dentro dos apartamentos, além de infiltrações. As fissuras estão aumentando desde então, e os condôminos relatam ter ouvido fortes estalos desde o início dessa semana.

Ainda na quarta-feira (23), a Defesa Civil da Prefeitura de Vitória foi acionada pelos moradores e pelo síndico Sílvio Nascimento, porém o órgão informou que não dispõe de um Engenheiro a fim de coletar amostras do solo e do material da construção, que permitam fazer estudos e análises para apontar um laudo técnico.

A Coordenadoria de Defesa Civil do Estado de Pernambuco – CODECIPE foi acionada pelos órgãos locais e esteve na localidade iniciando a análise técnica da edificação. O Condomínio pretende, em posse do Laudo, provocar a Caixa Econômica Federal (CEF), mantenedora dos contratos do Minha Casa Minha Vida, bem como o escritório responsável pela obra, Instituto Ensinar de Desenvolvimento Social (IEDES), empresa responsável pela realização do trabalho técnico social com as famílias beneficiadas, com sede em Caruaru, no Agreste do Estado, para que eles se comprometam diante da responsabilidade dos prejuízos apontados.

O Programa “Minha Casa Minha Vida” foi criado pelo Governo Federal (gestões Lula/Dilma) para ajudar famílias de baixa renda saírem do aluguel e financiarem suas casas ou apartamentos.

Programa Minha Casa Minha Vida (MCMV)

São unidades habitacionais em Vitória batizadas – Jardins de Vitória Etapa 1, Etapa 2 quadra A-2, Etapa 3 quadra B-4 e Etapa IV quadra B-3 – os quais contaram com investimentos de R$ 53 milhões. Os 896 apartamentos são destinados às pessoas com renda familiar mensal de até R$ 1,8 mil. Cada unidade possui 44,34m², avaliadas em R$ 59 mil.

As 3.584 pessoas beneficiadas contam com áreas de lazer com parque infantil, quadra esportiva, salão de festas e centro comunitário. Além disso, 28 unidades são adaptadas às pessoas com necessidades especiais. Atendendo às exigências de qualidade do Programa, os empreendimentos são equipados com infraestrutura completa, pavimentação, rede de água, esgotamento sanitário, drenagem e energia elétrica.

 LEIA TAMBÉM:

Quase 50% das unidades do Minha Casa Minha Vida têm falhas de construção

-