Ceclin
mar 15, 2021 0 Comentário


“Quem vai se responsabilizar pelas mortes na Educação?”, indaga Sintepe

Os outdoors do Sintepe estão espalhados pelas ruas denunciando o absurdo que comete o governo de Pernambuco ao manter atividades presenciais na rede pública de ensino em pleno recrudescimento da pandemia!

QUEM VAI SE RESPONSABILIZAR PELAS MORTES NA EDUCAÇÃO?

Em uma entrevista coletiva, o secretário estadual de Saúde, André Longo, fez um fortíssimo pronunciamento alertando à população para o uso correto de máscaras e pedindo a prática do distanciamento social. “Nós vamos ter um aumento expressivo de mortalidade em Pernambuco”, disse ele.

Desde outubro de 2020 o Sintepe, como diz o secretário, alerta o Governo de Pernambuco para “fazer o certo”, ou seja, não permitir as atividades presenciais na rede estadual de educação sem que os índices de contaminação pelo coronavírus tenham reduções drásticas ou sem que a população esteja vacinada. Como exigir de crianças e jovens um comportamento que a sociedade não está cumprindo: distanciamento, uso correto da máscara, higienização constante das mãos? Mais ainda, também lembrando as palavras do secretário, quando tudo leva a crer que “haja a circulação de novas variantes do coronavírus”.

O que o Governo está esperando para interromper todas as atividades presenciais na rede pública de ensino? Quem vai se responsabilizar pelas mortes na Educação?

PEC EMERGENCIAL

A PEC Emergencial congela os investimentos em estados e municípios, e a riqueza do Brasil – Eletrobras, Petrobras, Bancos públicos – ativos econômicos brasileiros – vão sendo vendidos a passos largos com ampliação da miséria e da fome. Na Educação, a repercussão é imediata, levando nossos jovens à necessidade da merenda para a sobrevivência. E os servidores públicos serão os mais sacrificados na sua condição salarial. Este ano, por manobra de Bolsonaro, não temos valores para o reajuste do piso salarial da educação e a Lei Federal 173/2020 nos coloca em extrema dificuldade.

ASSEMBLEIA (16/03 | 15h)

Compreender o momento para lutar pela manutenção de direitos conquistados, a defesa da democracia, da saúde e garantir vidas. Em cada escola criar um comitê em defesa da vida e atuar sistematicamente para parar as aulas presenciais, denunciando cada caso à imprensa e ao Sindicato. Muitos ainda pensam que a saída é individual, ledo engano!  A adesão à nossa Assembleia é fundamental para alcançarmos a vitória.

Sindicato dos Trabalhadores em Educação do Estado de Pernambuco – SINTEPE