• Ceclin
set 13, 2010 22 Comentários


Quem foi quem na visita da Frente Popular

Observando com um olhar mais crítico o ato político ocorrido em Vitória de Santo Antão neste sábado (11), é fácil identificar quem foi quem nesta salada partidária e eleitoreira que está sendo essa campanha em Vitória, hora depois da última campanha municipal, quem imaginaria o deputado Henrique Queiroz (PR) e o deputado Aglaílson Júnior (PSB), dividindo o mesmo palanque, não só o palanque como as ruas da Vitória, correndo lado a lado com o fenômeno ao Governo Eduardo Campos (PSB), Humberto Costa (PT) e Armando Monteiro Neto (PTB), ambos candidatos ao Senado, ainda mais dividindo tropicões e empurrões em pleno sol do meio dia, pizões, buracos e esbarrões, além de moto-taxistas nas malucas ruas da Vitória em pleno caos que se instalou no sábado do comércio vitoriense.

Algo que só uma eleição atípica como essa pode nos proporcionar. Devemos isso também ao Prefeito Elias Lira (DEM), ausente da disputa, proporcionou uma sobra de cerca de vinte mil votos esquentando ainda mais a disputa para ver quem fica com estes.
O mais engraçado de se ver foi a guerra para ver quem cola mais adesivos; um colava em Eduardo e os senadores, o outro tirava e colava o seu em meio a empurrões dos eleitores mais fanáticos, todos querendo uma lasquinha da popularidade dos líderes da Frente Popular.

O fato que vale ser lembrado e esclarecido ao eleitor é que o governador Eduardo Campos e seus partidários vieram à Vitória para um ato político de sua campanha, não para caminhada de candidato nenhum como foi anunciado à torto e a direita tanto por Henrique Queiroz e principalmente pela campanha de Aglailson Júnior. Na verdade quem pegou carona no bonde foram os deputados, tanto é verdade que o governador e os senadores pediram votos para os três candidatos da Vitória de Santo Antão incluindo Edvaldo Bione (PHS), que acredito, tomou a postura mais correta nessa disputa das atividades, ficando isento de tumultos e algazarras e acompanhando junto com sua militância sem muito alarde.

Como já era esperado, os “vermelhinhos” tomaram conta do evento. Uns patrocinados pela necessidade e outros pela paixão, o que novamente fez o governador puxar as orelhas dos mesmos e de quem os comandam pelo comportamento na ocasião, fato que já havia acontecido na entrega das casas populares do bairro do Iraque quando hostilizaram o prefeito Elias Lira. No fim todos tomaram seus papeis: Henrique Queiroz consolidou suas palavras e conseguiu o que queria, se alguém tinha dúvida sobre o apoio de Eduardo a sua candidatura agora não tem mais.

Aglailson Júnior mais uma vez mostrou força colocando uma grande massa nas ruas, mas novamente perdeu pontos pela forma que sua militância se comporta. Edvaldo Bione não foi “nem um nem outro” como ele mesmo diz, ficou isento dos holofotes fato que já era esperado pela forma que conduz sua campanha, não querendo bater de frente com as duas lideranças e buscando se consolidar como a terceira força nessa disputa, mas quem se deu bem mesmo nesse escarcéu de cores foi Eduardo, Armando e Humberto que não estão nem aí com a disputa de cores, pois entre elas não encontram nenhuma que faça oposição as suas candidaturas e vêem em Vitória um cenário muito favorável e único para sua eleição. De modo que quem sai perdendo em toda essa salada eleitoral é a fanática e desinformada população vitoriense que não tem vantagem nenhuma em toda essa briga.

Edvaldo Bione foi destratado e desrespeitado durante visita de Eduardo Campos a Vitória de Santo Antão

Quem marcou presença também na visita do governador à Vitória foram os militantes do candidato a deputado estadual Edvaldo Bione do PHS, os mesmos fizeram jus a o seu slogan de campanha “Nem um nem outro”, e se portaram de forma diferente dos demais, em menor número, porém de forma bastante animada os eleitores do candidato permaneceram comportados e atentos aos pronunciamentos, se manifestando apenas quando o nome dele era mencionado nos pronunciamentos, o que ocorreu nas falas de Eduardo Campos, Humberto Costa e Armando Monteiro.

O fato triste na participação de Bione no evento ocorreu no início do ato político. Bione que não acompanhou a caminhada chegou ao palanque montado na Praça Leão Coroado, Centro da cidade, após o início dos pronunciamentos. No momento que se dirigiu ao palanque foi destratado pelos seguranças que faziam parte da organização do evento, fato que o deixou constrangido.
Indignado com o fato ocorrido, Edvaldo Bione ameaçou ir embora, mas foi convencido pela assessoria pessoal de Armando Monteiro, pois o mesmo fazia questão de sua presença. Mais calmo, Bione acompanhado de seus amigos e incentivado pelo povo, inclusive por militantes adversários, subiu ao palco onde acompanhou o restante do evento sendo recebido por Armando Monteiro e o empresário que o apoia na disputa Antonio de Lemos.

“Militantes” de Aglailson Júnior fizeram o parlamentar ficar “vermelho” de vergonha em ato político

Como era de se esperar, a coordenação da campanha do deputado Aglailson Júnior colocou uma grande quantidade de ‘militantes pagos’ nas ruas da Vitória de Santo Antão para receber o governador Eduardo Campos no último sábado (11). Estando recebendo ou sendo de fato simpatizantes do candidato, o fato é que uma multidão vermelha invadiu as ruas da Vitória logo cedo, o candidato do PSB realizou um “adesivaço” na Avenida Mariana Amália com a presença de correligionários e militantes.

Com a chegada de Eduardo Campos, Aglailson Júnior saiu em caminhada com o governador pelas ruas da Vitória, acabou subindo no palanque onde o evento ocorreu acompanhado de seu pai o ex-prefeito de Vitória José Aglaílson e do também ex-prefeito Demétrius Lisboa, ambos do PSB.

Os pronunciamentos foram iniciados pelo candidato ao senado Armando Monteiro, em seguida foi a vez de Humberto Costa que também disputa uma das vagas para o senado, finalizado pelo discurso do candidato a reeleição Eduardo Campos.

O que se viu no decorrer dos pronunciamentos foi uma série de desrespeitos por parte da militância de Aglailson Júnior para com os oradores, que foram interrompidos em seguidas oportunidades por gritos de ordem e de apoio ao vereador licenciado José Aglailson, bem como em outros momentos por provocações dirigidas dos partidários do também candidato Henrique Queiroz que ocupavam o espaço à frente do palanque.

No palanque o que se viu foram os seguidos pedidos de calma e de respeito, por parte de Demétrius Lisboa. Humberto Costa que teve seu discurso paralisado por conta de uma briga entre militantes, além de Eduardo Campos que repudiou os atos agressivos, pedindo antes de tudo em seu pronunciamento calma e mais respeito entre as pessoas, acabou fazendo duras críticas a forma de se fazer política em Vitória, afirmando que é tempo de união lembrando que essa foi a marca de seu governo nesses quatro anos.

Segundo Eduardo, política é a arte de fazer alianças. Tecendo críticas aos candidatos e militantes de Aglailson Júnior e Henrique Queiroz, o governador candidato ressaltou que Vitória está em um estado muito bom de desenvolvimento e a cidade precisa se unir para que esse desenvolvimento beneficie a toda população.

Henrique Queiroz foi o maior beneficiado com o ato político

O deputado Henrique Queiroz (PR) iniciou o dia reunindo seu eleitorado nas imediações da Praça Leão Coroado, onde estava localizado o palanque que mais tarde receberia a comitiva da Frente Popular. O parlamentar de oito mandatos que segue para sua nona disputa eleitoral na ALEPE, fez campanha política durante a manhã na frente do palco cumprimentando eleitores, aproveitando para colar adesivos e conversar com os seus cabos eleitorais.

O candidato estava acompanhado de seu filho o vice-prefeito da Vitória Henrique Filho (PR), do vereador Frazão (PR) e do Secretário de Defesa do Cidadão da Prefeitura da Vitória Décio Filho.

Em seguida o candidato saiu em caminhada ao lado de Henrique Filho pelas ruas da Vitória na companhia do governador Eduardo Campos e dos candidatos ao senado Amando Monteiro e Humberto Costa. Logo, subiu ao palanque onde acompanhou os pronunciamentos festejando com sua militância que pintava parte da rua com verde e amarelo nos momentos que seu nome era citado, um fato interessante que aconteceu.

O pronunciamento de Eduardo Campos caiu como uma luva para Henrique Queiroz. Em um determinado momento o governador se referiu ao voto fechado para a chapa da Frente, fazendo menção ao slogan usado por Henrique desde a última campanha (Eleições 2008): “nessa eleição precisamos fazer barba, cabelo e bigode”, disse Eduardo, o que levou a militância verde e amarela ao delírio junto com o candidato que estava no palanque a festejar. Por fim, a maioria acredita que o deputado Henrique Queiroz foi o que mais se beneficiou com a visita da comitiva da Frente Popular do que o seu principal adversário, nessa disputa de quem será o deputado majoritário no Município.

por Everton Alambergue,

enviado especial ao evento.