Ceclin
Maio 26, 2011 6 Comentários


Quem é o Presidente da Câmara de Vereadores da Vitória de Santo Antão?

por Josimar Cavalcanti



Na sessão ordinária da Câmara de Vereadores da Vitória dessa terça-feira (24), registrou-se como de costume a imagem dispersa do então presidente José Aglailson (PSB), quando mais uma vez retirou-se do plenário sem prestar qualquer esclarecimento sobre sua saída, deixando a responsabilidade de iniciar os trabalhos da Casa Diogo de Braga o vice-presidente Doutor Saulo (PSB). Sendo assim fica registrado entre os ausentes nesta sessão o presidente José Aglailson, Irmão Duda (PSDC) e justificadamente alegando estar doente, o vereador Novo da Banca (PSB).

Iniciado as atividades, o Secretário Sylvio Gouveia (PSB), veio à tona trazendo uma das polêmicas da noite, quando o mesmo leu o ofício de resposta endereçado a Doutor Saulo pela Secretaria de Saúde da Vitória de Santo Antão, o qual justifica o pedido de esclarecimento sobre os atrasos no pagamento salarial de alguns servidores vinculados ao setor da Saúde do Município.
“Desconheço qualquer atraso no pagamento da folha salarial dos servidores desta Secretaria”, justificou a Secretária Veraluce Rodrigues de Lira.

Segue alegando que existem prioridades no setor e que têm tentado fechar todos os pagamentos em meados do dia 12 de cada mês, indo de encontro à determinação da legislação que ordena o pagamento dos servidores até o quinto dia útil de cada mês.

Tal esclarecimento da Secretária de Saúde é contraditório, segundo o presidente do Conselho Municipal de Saúde – Michelson Gomes, que estava presente e confirmou aos vereadores os atrasos salariais na categoria.

O outro ponto polêmico já levantado pelo vereador Pedro Queiroz (PPS), tudo começou devido a construção de um presídio na Comunidade de Pacas – Zona Rural de Vitória, que também foi respondido em ofício pela Secretaria de Ressocialização do Estado de Pernambuco, provocado pela Casa. Segundo o comunicado, a pasta esclarece que inexiste projeto de construção de presídios para Vitória de Santo Antão, pois a construção que se encontra em Pacas neste momento trata-se de um Centro de Ressocialização de Responsabilidade da FUNASE – Fundação de Atendimento Socioeducativa. (Saiba AQUI).


O primeiro vereador a se pronunciar foi Pedro Queiroz, apresentando um protesto em forma de abaixo assinado encaminhado a ele pelos moradores do entorno da tradicional Praça da Matriz de Santo Antão que se encontra destruída a aproximadamente oito meses, em detrimento da reforma da mesma, obra até então paralisada pela Prefeitura da Vitória. “Esse documento representa repúdio dos moradores da Matriz ao Prefeito Elias Lira (DEM)”, bradou o líder do Governo. Eles cobram uma definição quanto aos prazos de execução da obra da praça.


Mencionou ainda quanto ao fato da entrega das batas aos 1.700 mototaxistas cadastrados marcado para esta sexta-feira (27), que terá esse serviço de transporte alternativo regulamentado na cidade, onde os motoqueiros receberão duas batas cada um para poder exercer a atividade na cidade.
Já o vereador Geraldo Enfermeiro (PSB), incomodado com a dispersão do Poder Executivo, ironizou que o Prefeito deva estar na Europa, em alusão ao descaso do mesmo em questões básicas de prestação de serviços a população, julgando como culpada a Casa Diogo de Braga que segundo ele, procura fazer todos os gostos do Prefeito Elias Lira (DEM), quando aprovam todos os projetos provenientes do Poder Executivo.

Na sequência, em alusão aos trabalhadores em Educação do Estado, o Vereador André de Bau (PMN) afirmou estar decepcionado com o Governo de Pernambuco quando o mesmo constata que o Estado detém o mais baixo salário pago aos professores do País.

André se diz ainda favorável a Lei de Reconhecimento da União Homoafetiva aprovada pelo STF, porém não concorda com o projeto de lei que torna crime a Homofobia, quando a mesma comete abusos ao censurar religiosos sobre os assuntos envoltos da homossexualidade deixando todos impedidos de opinarem sobre tal.
Em contrapartida, Pedro Queiroz julga ser inadmissível envolver questões religiosas numa decisão terrena. “A Lei deve tratar da realidade, de tudo aquilo que o povo escolhe para suas vidas. Não podemos viver num mundo de fantasias acreditando que todos seguirão os escritos bíblicos”, vaticinou.

Tão logo do encerramento da reunião, Sylvio Gouveia responde as fortes criticas feitas anteriormente pelo seu colega de partido – Geraldo Enfermeiro, quando o mesmo havia reclamado que seus Requerimentos verbais não estavam sendo encaminhados aos interessados em apurar suas denúncias.
Gouveia rebateu que em um levantamento feito em todas as atas datadas de um ano atrás até a presente plenária, só se verificou a presença de um pedido de requerimento feito por Geraldo, quando o mesmo foi encaminhado ao órgão responsável e respondido. Em sua defesa, Geraldo alega estar confuso. “Não entendo como a Mesa desta Casa que deveria fazer oposição ao prefeito o defende, lendo esse ofício de resposta aqui”, contrariou-se.
O parlamentar alega que por diversas vezes havia feito denúncias a diversos órgãos nas plenárias da Casa e que em todos os casos solicitou para que os responsáveis tomassem ciência de suas denúncias. Logo, o Secretário da Casa esclareceu que ele deve seguir o protocolo como orienta o Regimento Interno.

O presidente em exercício, Dr. Saulo, encaminha para votação o único projeto aprovado na noite. Trata-se do Projeto de Lei nº 138/11 revogando a Lei nº 3.421/10, referente a doação de terreno a Empresa Francisco G. de A. Miranda, o qual a partir desta data perde o direito de posse.




por Josimar Cavalcanti,
Correspondente do Blog.



“Enquanto um trabalha, o outro ganha com a cara”.
De fato! O presidente da Casa é Dr. Saulo.

André de Bau e Pedro Queiroz lembram que a Casa contará com 19 vereadores.