Ceclin
abr 29, 2009 1 Comentário


Quatro mil casas serão construídas

Obras em 49 municípios fazem parte do programa estadual Minha Casa

AUGUSTO LEITE
Especial para a Folha

A Secretaria das Cidades anunciou ontem a construção de quatro mil habitações, parte do programa Minha Casa, do Governo do Estado. As obras estão distribuídas em 49 cidades pernambucanas e custam R$ 110 milhões, entre recursos estaduais, municipais e federais. O município de Jaboatão dos Guararapes é o maior contemplado pela ação, onde serão levantadas 992 moradias, no valor aproximado de R$ 31,7 milhões. Pernambuco espera erguer 22 mil residências até 2010. O projeto nada tem a ver com o programa Minha Casa, Minha Vida, lançado pelo Governo Federal recentemente.

Entre as construções anunciadas, algumas ainda estão em abertura de processo licitatório. É o caso de 302 habitações, no valor de R$ 30 milhões, na Bacia do Fragoso, em Olinda, e 512 unidades, referentes a cerca de R$ 27 milhões, para as famílias realocadas devido às obras de urbanização do Canal do Jordão. Os recursos para a criação destas casas são do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC). Os serviços devem começar em 90 dias e as casas têm a previsão de estarem prontas em dois anos.
O mesmo acontece com 303 moradias que serão erguidas em Moreno, Pesqueira e Timbaúba, sob investimentos de aproximadamente R$ 13,5 milhões, do Fundo Nacional de Habitação e Interesse Social (FNHIS) 2007. No próximo mês, serão abertas licitações para construções em Petrolina, Serra Talhada, Goiana, Garanhuns, Salgueiro, Itambé e Santa Cruz do Capibaribe. Outros 28 municípios serão beneficiados pelo FNHIS 2008.
“O programa é voltado para as pessoas de baixa renda. Em alguns casos, essas casas vão zerar o deficit de residências dos municípios”, ressaltou o secretário das Cidades, Humberto Costa. Segundo ele, as famílias que precisaram ser realocadas estão recebendo auxílio-moradia até poderem ser transferidas.
Até agora, 6.344 residências foram construídas por meio do programa Minha Casa. As unidades custam, em média, R$ 40 mil e medem 40 metros quadrados. A intenção é que cada um dos conjuntos residênciais tenham uma Academia das Cidades.

(Folha de Pernambuco).