Ceclin
Maio 15, 2009 2 Comentários


Professores particular em estado de greve

Marcela Alves

Os professores da rede particular de ensino de Pernambuco decidiram em assembleia, realizada na manhã de ontem, apontar estado de greve. A parada pode ser deflagrada em uma outra reunião da categoria, que acontecerá no próximo dia 20, às 9h, no auditório dos bancários. A rejeição de todos os pleitos propostos pelo professores ao sindicato patronal e a proposta da troca do período de férias de julho para janeiro foram os principais motivos alegados pela categoria para tomar essa decisão. Os professores pedem 12% de aumento salarial, extinção do nível de escolas e pagamento fixo dos 10% da correção de prova.
O sindicato patronal propôs que os professores escolhessem algumas cláusulas de reivindicação para aceitarem a proposta de troca de período de férias. “Não faz sentido aceitarmos isso”, afirmou um dos diretores do Sindicato dos Professores de Pernambuco (Simpro), Gabriel Pimenta. Atualmente, os professores têm direito a um mês de férias no mês de julho e recesso de 15 dias em janeiro.
O diretor executivo do Sinepe-PE, Arnaldo Mendonça, ressaltou que é difícil aceitar todas as cláusulas de reivindicação diante de uma crise econômica. Quanto à troca do período de férias, Arnaldo esclareceu que o Sinepe quer dar 20 dias de recesso em julho e um mês de férias para que a escola possa cumprir a carga horária de 200 dias exigida pelo MEC.
(Folha de Pernambuco).